Este ano o Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela /CMVRSA voltou a armar o presépio algarvio com a participação dos habitantes da aldeia de Santa Rita.

No Algarve, em Dezembro era costume armar-se o presépio e o “altarinho” de cariz popular. Nas casas, em cima da cómoda, elevado ao centro em degraus, colocava-se o menino Jesus, cercado de searinhas, laranjas e outros frutos, votos de pão e de prosperidade para a família. Trata-se de uma tradição muito antiga que parece remontar no Algarve pelo menos à Idade Média.

As searinhas são semeadas por tradição no dia 8 de Dezembro, dia de N. Sra da Conceição, na continuidade dos antigos cultos da fertilidade, numa altura em que nos campos se fazem as sementeiras. Os grãos de trigo, centeio, cevada são colocados a germinar em latinhas de conserva ou pires e mantidos húmidos enquanto germinam. São oferecidas ao menino Jesus com o pedido de boas colheitas.

Esta antiga tradição associada ao Natal ajuda-nos a compreender a dimensão de incerteza que acompanhava a actividade agrícola nas sociedades passadas e a necessidade que havia de, ao longo do calendário festivo, através de práticas e intervenções rituais e simbólicas, estabelecer ligação com as entidades divinas, pedindo que intercedessem para proteger e propiciar o eterno renascer da natureza, a fertilidade da terra, garante da sua sobrevivência.

Visite-nos no seguinte horário
De segunda a sexta-feira
9h00 – 13h00 e 14h00 – 17h00

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s