Category: Elementos Patrimoniais

ACONTECEU NO CIIPC EM 2014

Em 2014 o Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela / Câmara Municipal de Vila Real de Santo António continuou a dinamizar projectos e actividades em torno da investigação, interpretação, usufruto e educação para o património e programação cultural em Cacela Velha.

Aqui fica o balanço “ilustrado”, para que possamos recordar e reflectir sobre o trabalho realizado, que é também de todos aqueles que partilharam o nosso caminho e se envolveram nas nossas actividades.

DESTAQUE

Foi inaugurada em Agosto, dia 13, a Casa do Pároco, em Cacela Velha. Depois de uma profunda obra de requalificação, a Casa do Pároco acolhe, além da sua função religiosa, um Centro de Informação e Atendimento ao Visitante de Cacela Velha, gerido pela autarquia de VRSA, onde se disponibiliza informação sobre o património cultural e ambiental de Cacela e Vila Real de Santo António.

O Centro de Informação da Casa do Pároco é ponto de partida para diversas possibilidades de conhecimento e usufruto do território, sua história e valores patrimoniais, bem como da oferta cultural disponível (visitas acompanhadas a Cacela Velha; Walking Poetry; exposições; percursos). Destaca-se o seu Quiosque Multimédia com conteúdos valiosos para uma primeira descoberta do património da região.

No interior, dispõe de pequeno auditório para projecção de documentários, conversas e área expositiva. Está aberto ao público de 3ªfeira a Sábado.

Inauguração Casa Pároco Casa Pároco

1. INVESTIGAÇÃO

Continuou o estudo das colecções de cerâmicas islâmicas de Cacela Velha exumadas do bairro islâmico do sítio do Poço Antigo e Largo da Fortaleza; das colecções de malacofauna de Cacela Velha, com a colaboração da Universidade do Algarve; e dos materiais exumados nas escavações arqueológicas no túmulo megalítico de Santa Rita, em colaboração com a Universidade de Huelva.

2.  VALORIZAÇÃO, DIVULGAÇÃO E USUFRUTO DO PATRIMÓNIO

 Passeios e visitas

“Passos Contados”, o ciclo de passeios pedestres, dinamizado pelo CIIPC/CMVRSA, voltou a mobilizar este ano, na sua 8ª edição, muitas dezenas de participantes, propiciando novas experiências de interpretação da paisagem e do património.

Realizaram-se 8 percursos, entre Março e Outubro. Os passeios iniciaram em Março com o percurso “Pássaros do campo e da ria. Cantos, voos e habitas” orientado pelo ornitólogo Thijs Valkenburg e a bióloga Fábia Azevedo do RIAS; seguiram-se em Abril “Ervas medicinais, aromáticas e alimentares. Usos e saberes” com o mestre José Salgueiro; em Maio “Brincar com a cana e outros materiais vegetais” com o artesão Domingos Romeira Vaz; em Junho “Dietas alimentares antigas no Algarve a partir do registo arqueológico” com a arqueóloga Maria João Valente; em Julho “Camaleões e outros habitantes nocturnos de Cacela Velha” com o biólogo Filipe Moniz; em Agosto “Estrelas e constelações na marinharia antiga e nos Descobrimentos. Tradições, técnicas e instrumentos para orientação no mar” com o físico Cândido Marciano da Silva; em Setembro “Afloramentos, rochas e fósseis. Uma aproximação às paisagens antigas em Cacela” com o geólogo Hélder Pereira; e terminaram em Outubro com o percurso “Habitação e usos do território no Algarve Rural, ontem e hoje”, orientado pelo arquitecto Miguel Reimão Costa.

1_Pássaros (6) 2_Ervas (5)

3_Brinquedos de cana (6) 4_Dietas alimentares (7)

5_Camaleões (6) 6_Estrelas (4)

7_Afloramentos rochas e fósseis (9) Usos território (1)

Continuaram as visitas orientadas ao património de Cacela Velha e Santa Rita, especialmente dirigidas a grupos, mediante solicitação prévia. As visitas são acompanhadas por técnicos do CIIPC, em português e inglês.

Participação em congressos e seminários com apresentação de comunicações

Apresentação de conferência sobre Arqueoastronomia e Etnoastronomia, por Catarina Oliveira e Cândido Marciano da Silva, no Centro de Ciência Viva do Algarve a convite do CCVAlgarve, Museu Municipal de Faro e Biblioteca Municipal de Faro, no âmbito dos Encontros “Educação e Cultura”, a 21 de Março.

Participação no Fórum das 4 cidades “20 anos, mil ideias” que se realizou em Montemor-o-Novo no dia 4 de Junho com a apresentação da comunicação “Acções Educativas na área do Património Cultural. Projecto À descoberta das 4 Cidades” por Catarina Oliveira.

Forum 4 cidades

Apresentação da comunicação “Tecnologias Hidráulicas no Algarve Antigo (Portugal): as canhas/qanat”, por Miguel Godinho, no Ciclo Arquivo entre Histórias, Arquivo Histórico Municipal António Rosa Mendes, VRSA, 8 agosto.

Formação

Participação no Programa Mobilidade de Educadores – Museus do Algarve na sequência de Protocolo entre a Direcção Regional de Cultura do Algarve, a Fundação Calouste Gulbenkian, 13 Câmaras e um Museu do Algarve. Participação na reunião plenária do Programa Mobilidade de Educadores – Museus do Algarve que decorreu em Portimão no dia 29 de Abril, com a apresentação a actividade educativa concebida pelo CIIPC: Visita-jogo a sítio arqueológico “Desenterrar o passado. Fazer falar pedras, ossos e cacos no túmulo megalítico de Santa Rita” dirigida a crianças e jovens.

Participação na acção de formação “Audiovisual para Museus” com o cineasta e antropólogo Jorge Murteira, que decorreu mo Museu de São Brás no dia 17 de Março.

Exposições

Acolhimento da exposição “COSMOS – Escultura em terracota de Sara Navarro”, onde a escultora procura fazer uma ponte entre os processos mais remotos da produção cerâmica (argilas, técnicas, motivos decorativos, cozedura) e a criação artística ontemporânea. Inauguração a 15 de Fevereiro com convite aos visitantes para a modelação colectiva de uma escultura. Patente no CIIPC até 22 de Junho.

Expo Cosmos (1)  Expo Cosmos (2)

Acolhimento da exposição HERBÁRIO FÓSSIL – trabalhos da oficina de impressões vegetais em argila, patente entre 22 de Julho e 1 de Outubro no CIIPC, Santa Rita.

Acolhimento da exposição “Pioneiros do conhecimento científico do Algarve”. Produzida conjuntamente por dez museus pertencentes à Rede de Museus do Algarve, começou a itinerância em Março pela região, abordando 11 figuras com legados relevantes para o conhecimento científico sobre esta região. Esteve em Cacela Velha, no Centro de Informação da Casa do Pároco, de 3 a 12 de Setembro; e em Vila Real de Santo António, no edifício da Câmara Municipal, de 15 a 30 de Setembro.

Expo pioneiros (2)   Expo pioneiros (1)

Dias comemorativos

Assinalámos o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios (durante a manhã do dia 16 de Abril, em período de férias da Páscoa), com a dinamização do Peddypaper de descoberta do património em Cacela “Uma viagem no tempo”, para crianças e jovens.

Peddypaper (1)  Peddypaper (4)

3. PROGRAMAÇÃO CULTURAL EM CACELA VELHA

Este ano, procurou-se dar continuidade a uma programação cultural em Cacela Velha alicerçada nas nossas heranças culturais, História e património.

Realizou-se a 2ª edição das Noites d’Encanto (em estreita colaboração com a Ibérica e a ADRIP), de 17 a 20 de Julho. Ao longo de 4 dias, as ruas de Cacela Velha encheram-se de música, gastronomia, mercado, animação, passeios de burro e muitas pessoas. Conversas temáticas e filmes remetendo para as heranças do al-Andalus, reforçaram a dimensão cultural da iniciativa.

Noites de Encanto (6)  Noites de Encanto (5)

Noites de Encanto (10)  Noites de Encanto (7)

4ª edição da “Poesia na rua” em Cacela Velha no dia 14 de Setembro. A poesia voltou às ruas de Cacela chamando muitas pessoas que participaram, de manhã, em actividades para os mais novos (caça ao poema, oficina criativa, hora do conto, poetização instantânea “Come-se com os olhos”). Durante a tarde tivemos apresentação de antologia de poesia, exposição, conversas, poetas do Guadiana, uma homenagem a António Rosa Mendes associada a conversa sobre o Algarve na poesia e a poesia do Algarve, percurso poético pelas ruas da vila e visionamento de documentário sobre Sophia de Mello Breyner Andresen. Quando a noite caiu, convidaram-se todos a ouvir e a participar na festa ao «ritual da igrejinha», um momento que já faz tradição, juntando poetas e os Funkarmonica.

Poesia na rua (6)  Poesia na rua (8)

Poesia na rua (7)            Poesia na rua (10)

Regressou ao Cemitério Antigo o Ciclo de Cinema “Sob as Estrelas em Cacela Velha” com a colaboração do Cineclube de Faro. Sessões a 28 Agosto – “A Paisagem de Artur Pastor”, resultando de uma colaboração com o Arquivo Municipal de Lisboa.  Contou com a presença de Artur Pastor (filho) e Ana Saraiva, responsável pelo trabalho de investigação para o documentário e exposição; e 11 Setembro – “Ideias para um Filme Musical sobre o Algarve” de Tiago Pereira, com a presença do realizador.

Ciclo cinema (2)  Ciclo cinema (3)

Continuaram os animados e participados Mercadinhos na Primavera, Verão, Outono e Natal em Cacela Velha (em colaboração com a ADRIP). Artesanato tradicional, novas criações, produtos locais, velharias, trocas & baldrocas, animação de rua, e belíssima música foram assinalando o passar das estações nas ruas de Cacela Velha.

Mercadinhos (2)  Mercadinhos (3)

Acolhimento de concerto de música de câmara pela Orquestra Clássica do Sul, na Igreja de Nossa Sra de Assunção, no dia 27 de Agosto. Uma co-organização da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António e Orquestra Clássica do Sul.

4. EDUCAÇÃO PARA O PATRIMÓNIO

Arrancou o novo projeto educativo sobre a Arquitectura Popular Algarvia “ As casas dos nossos avós”, dinamizado com as escolas (cerca de 20 turmas) do concelho durante dois anos lectivos. Apresentação de diaporama nas escolas participantes; preenchimento de fichas sobre a arquitectura popular; visitas de campo; e produção de maquetes de casas antigas com vista a uma exposição final, são as principais actividades em curso.

Diaporama    Maquetes casas (5)

Concluída a acção educativa no âmbito do projecto “À Descoberta das 4 cidades” com o tema “Bicharada, ervas e Companhia. À descoberta da fauna e flora das 4 cidades”. Foi oferecido às escolas envolvidas o Jogo da Glória “Bichos e Ervas das 4 cidades”, que propõe uma descoberta lúdica dos bichos e ervas das 4 cidades. Dedicamo-nos, ao longo do ano, à produção do livro “Bicharada & Ervas das 4 Cidades” que estará impresso este mês de Janeiro e pronto para ser divulgado junto da comunidade educativa dos 4 concelhos.

Jogo da Glória (2)               ?????????????

Elaboração e apresentação, em Outubro, da nova proposta de acção educativa do Projecto “À Descoberta das 4 Cidades” para os próximos 3 anos lectivos (2014 e 2017): “DE BOCA A ORELHA. Contos, lendas, provérbios, adivinhas, lengalengas… À descoberta do património oral das 4 cidades”. Depois de um já longo percurso pela identificação e valorização do património cultural das 4 cidades (alimentação; brinquedos e jogos; lugares, personagens e datas; bichos e ervas) propõe-se que alunos, professores e comunidade educativa se lancem à descoberta do património oral ainda vivo nos 4 concelhos do Fundão, Marinha Grande, Montemor-o-Novo e Vila Real de Santo António.

Associadas à exposição Cosmos – Escultura em Terracota de Sara Navarro – patente no CIIPC, realizaram-se 3 oficinas, para públicos diversos, procurando explorar a relação entre Arte e Arqueologia na produção de Escultura Contemporânea.

Na Oficina de impressões vegetais em argila “HERBÁRIO FÓSSIL” (13 Abril) os participantes, crianças, associaram Arte e Botânica, num trabalho de impressão de folhas, caules e sementes em argila.

Herbário fóssil (4)  Herbário fóssil (6)

Na Oficina de modelação cerâmica “A MEMÓRIA DO GESTO” (18 de Maio) exploraram-se técnicas ancestrais da produção de objetos cerâmicos na criação de peças contemporâneas.

Oficina modelação (1) Oficina modelação (2)

Por fim, na Oficina de cozedura de cerâmica em fogueira “DA TERRA E DO FOGO” (21 e 22 de Junho) foi feita a cozedura em fogueira (na antiga eira da aldeia de Santa Rita) das peças anteriormente produzidas.

Oficina cozedura (1)  Oficina cozedura (2)

Oficina cozedura (4)  Oficina cozedura (3)

Ao longo do ano, e especialmente no Verão durante as férias, dinamizaram-se diversas actividades lúdico-pedagógicas na área do património para público infanto-juvenil: Oficinas de Arqueologia” na caixa arqueológica no exterior do CIIPC; peddy-paper de descoberta do património; e visitas a Cacela velha. Continuou ainda a colaboração com a ASMAL-Associação de Saúde Mental do Algarve. Destaque para a Oficina de Réplicas Arqueológicas a 18 Fevereiro.

Caixa arqueológica (3)  Oficina réplicas (2)

Dinamização da Visita-jogo a sítio arqueológicoDesenterrar o passado. Fazer falar pedras, ossos e cacos no túmulo megalítico de Santa Rita” com grupo de Escoteiros de Vila Real de Santo António (24 de Maio, Sábado).

Actividades escoteiros (3)  Actividades escoteiros (1)

Pouco antes do Natal, voltámos a propor aos mais novos uma oficina de artes. Decorreu no CIIPC a 6 de Dezembro a Oficina “Tecer em teares de cartão” onde crianças e familiares aprenderam a construir o tear em cartão, montar a trama e tecer com lã, tecidos, trapilho, combinando cores e dando asas à criatividade. A Oficina foi orientada pelo Hospital das Coisas – E5G – Serviço de reciclagem.

Oficina teares a (1)  Oficina teares (7)

5. TRABALHO EM REDE

O CIIPC/CMVRSA, enquanto núcleo estruturante do futuro Museu Municipal de Vila Real de Santo António (em projecto), integra desde 2008 a Rede de Museus do Algarve, continuando a participar activamente nas reuniões gerais, na dinâmica dos grupos de trabalho entretanto constituídos e, até Setembro, integrou o grupo coordenador da Rede.

Anúncios

Percurso pedestre “Afloramentos, rochas e fósseis. Uma aproximação às paisagens antigas em Cacela”, 21 Setembro (Domingo)

Continua em Setembro no dia 21, Domingo, a 8ª edição do ciclo de passeios pedestres de interpretação da paisagem “Passos Contados”, com o percurso:

Afloramentos, rochas e fósseis. Uma aproximação às paisagens antigas em Cacela

Com o geólogo Hélder Pereira

21 Setembro (Domingo)

Ponto de encontro: 9.30 em Cacela Velha

Percurso geologia

 

Ao longo de um percurso efectuado a partir do Litoral em direcção à Serra iremos realizar uma viagem no tempo. Durante o passeio aprenderemos a decifrar as histórias que as rochas e os fósseis têm para contar e ficaremos a saber como eram as antigas paisagens na região de Cacela. Iniciaremos a nossa jornada contemplando o Oceano Atlântico, a laguna da Ria Formosa e as areias de duna e de praia actuais, analisaremos as evidências de um antigo delta e outros depósitos fluviais e a viagem terminará sobre o fundo de um Oceano já extinto. 

 

O percurso será orientado por Hélder Pereira, professor de Biologia e Geologia na Escola Secundária de Loulé, mestre em Gestão em Conservação da Natureza com uma dissertação sobre a valorização, gestão e geoconservação da jazida fossilífera de Cacela. É um dos membros fundadores da Associação para a Defesa e Divulgação do Património Geológico do Alentejo e Algarve. Nos últimos anos tem estado envolvido na dinamização de vários projectos de promoção e divulgação da cultura científica.

 

Passos Contados… porque os caminhos, os lugares, as pessoas contam estórias. A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António propõe este ano novas experiências de interpretação e descodificação das paisagens culturais e naturais do sotavento algarvio. Nesta oitava edição iremos ouvir e observar pássaros do campo e da ria (Março); descobrir as plantas e os seus antigos usos na medicina e alimentação (Abril); aprender a fazer brinquedos em cana e outros materiais vegetais (Maio); conhecer as dietas alimentares antigas no Algarve a partir do registo arqueológico (Junho); procurar camaleões e outros habitantes nocturnos na envolvente de Cacela Velha (Julho); observar à noite estrelas e constelações e descobrir a sua importância na navegação marítima (Agosto); conhecer as paisagens antigas em Cacela a partir de afloramentos, rochas e fósseis (Setembro); terminaremos em Outubro com um percurso sobre a habitação e usos do território no Algarve Rural, ontem e hoje.

 

Informações

Os percursos realizam-se aos Sábados e Domingos, entre Abril e Outubro.

Pontos de encontro no CIIPC (antiga escola primária) em Santa Rita, na cisterna de Cacela Velha, ou em Vila Real de Santo António na Praça Marquês de Pombal, consoante o percurso.

Para os passeios diurnos deverá trazer merenda, cantil com água, calçado confortável, roupa leve, chapéu e protector solar. Para os percursos nocturnos deverá trazer roupa quente, calçado confortável e lanterna.

A organização reserva-se o direito de anular a realização de percursos caso se verifiquem condições climatéricas adversas.

 

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Tel./ Fax: 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o seu nome e contacto.

Valor de inscrição – 3€

 

Organização

Câmara Municipal de Vila Real de Santo António

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Percurso PASSOS CONTADOS “Camaleões e outros habitantes nocturnos de Cacela Velha” (5 Julho, Sábado, Cacela Velha)

Continua em Julho, no dia 5, Sábado, a 8ª edição do ciclo de passeios pedestres de  interpretação da paisagem “Passos Contados”, com o percurso:

 

Camaleões e outros habitantes nocturnos de Cacela Velha

Com o biólogo Filipe Moniz

5 Julho (Sábado)

Ponto de encontro: 21.00 em Cacela Velha

Camaleao

 

Quase extintos na Europa, os camaleões são uma das espécies emblemáticas da Ria Formosa. A sua capacidade de mudar de cor, andar vagarosamente, pé ante pé, os seus grandes olhos, e a forma como capturaram à distância os insectos de que se alimentam, são algumas das características distintivas do camaleão.

Porque mudam de cor? Onde se abrigam? De que se alimentam? Estão mais activos de dia ou de noite? Como acasalam? Quais as principais ameaças à espécie? São algumas das questões que vão orientar a conversa com o biólogo Filipe Moniz ao longo de um percurso onde falaremos também de outros animais que habitam na envolvente de Cacela.

 

Solicitamos que tragam uma lanterna com bastante potência, para facilitar a observação de animais e vestígios por eles deixados.

 

Passos Contados… porque os caminhos, os lugares, as pessoas contam estórias. A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António propõe este ano novas experiências de interpretação e descodificação das paisagens culturais e naturais do sotavento algarvio. Nesta oitava edição iremos ouvir e observar pássaros do campo e da ria (Março); descobrir as plantas e os seus antigos usos na medicina e alimentação (Abril); aprender a fazer brinquedos em cana e outros materiais vegetais (Maio); conhecer as dietas alimentares antigas no Algarve a partir do registo arqueológico (Junho); procurar camaleões e outros habitantes nocturnos na envolvente de Cacela Velha (Julho); observar à noite estrelas e constelações e descobrir a sua importância na navegação marítima (Agosto); conhecer as paisagens antigas em Cacela a partir de afloramentos, rochas e fósseis (Setembro); terminaremos em Outubro com um percurso sobre a habitação e usos do território no Algarve Rural, ontem e hoje.

 

Informações

Os percursos realizam-se aos Sábados e Domingos, entre Abril e Outubro.

Pontos de encontro no CIIPC (antiga escola primária) em Santa Rita, na cisterna de Cacela Velha, ou em Vila Real de Santo António na Praça Marquês de Pombal, consoante o percurso.

Para os passeios diurnos deverá trazer merenda, cantil com água, calçado confortável, roupa leve, chapéu e protector solar. Para os percursos nocturnos deverá trazer roupa quente, calçado confortável e lanterna.

A organização reserva-se o direito de anular a realização de percursos caso se verifiquem condições climatéricas adversas.

 

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Tel./ Fax: 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o seu nome e contacto.

Valor de inscrição – 3€

 

Organização

Câmara Municipal de Vila Real de Santo António

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Percurso Passos Contados “Dietas alimentares antigas no Algarve a partir da Arqueologia” (15 Junho, Domingo, Cacela Velha)

Continua em Junho, no dia 15, Domingo, a 8ª edição do ciclo de passeios pedestres de interpretação da paisagem “Passos Contados”, com o percurso:

Dietas alimentares antigas no Algarve a partir da arqueologia

Com a arqueóloga Maria João Valente

15 Junho  (Domingo)

Ponto de encontro: 9.30 em Cacela Velha

A evolução da espécie e da cultura humana dependeu também, e muito, da alimentação que temos tido ao longo da nossa existência. Os nossos alimentos à base de carne têm sido, aliás, muitíssimo variados como consequência das diferentes disponibilidades ecológicas, das capacidades tecnológicas e das próprias tradições.

Neste passeio pelos arredores de Cacela propomos uma viagem ao passado através da alimentação. Falaremos dos tempos dos caçadores de animais selvagens, da importante transformação alimentar causada pela domesticação do gado e pelo melhoramento de espécies, e da forma como as crenças e os costumes marcaram os gostos humanos. Uma série de retratos — do longínquo Paleolítico à Idade Média — centrados na região algarvia, hoje possíveis graças a uma disciplina chamada zooarqueologia.

 

Este percurso pelo campo conta com a companhia da arqueóloga Maria João Valente, professora na Universidade do Algarve, especialista em zooarqueologia e em dietas humanas do passado. Esperam-se muitas perguntas e boa disposição. E quem têm alguns ossinhos de animais em casa, pode sempre trazê-los para identificação…

 

Passos Contados… porque os caminhos, os lugares, as pessoas contam estórias. A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António propõe este ano novas experiências de interpretação e descodificação das paisagens culturais e naturais do sotavento algarvio. Nesta oitava edição iremos ouvir e observar pássaros do campo e da ria (Março); descobrir as plantas e os seus antigos usos na medicina e alimentação (Abril); aprender a fazer brinquedos em cana e outros materiais vegetais (Maio); conhecer as dietas alimentares antigas no Algarve a partir do registo arqueológico (Junho); procurar camaleões e outros habitantes nocturnos na envolvente de Cacela Velha (Julho); observar à noite estrelas e constelações e descobrir a sua importância na navegação marítima (Agosto); conhecer as paisagens antigas em Cacela a partir de afloramentos, rochas e fósseis (Setembro); terminaremos em Outubro com um percurso sobre a habitação e usos do território no Algarve Rural, ontem e hoje.

 

Informações

Os percursos realizam-se aos Sábados e Domingos, entre Abril e Outubro.

Pontos de encontro no CIIPC (antiga escola primária) em Santa Rita, na cisterna de Cacela Velha, ou em Vila Real de Santo António na Praça Marquês de Pombal, consoante o percurso.

Para os passeios diurnos deverá trazer merenda, cantil com água, calçado confortável, roupa leve, chapéu e protector solar. Para os percursos nocturnos deverá trazer roupa quente, calçado confortável e lanterna.

A organização reserva-se o direito de anular a realização de percursos caso se verifiquem condições climatéricas adversas.

 

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Tel./ Fax: 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o seu nome e contacto.

Valor de inscrição – 3€

 

Organização

Câmara Municipal de Vila Real de Santo António

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Passeio Passos Contados “Brincar com a cana e outros materiais vegetais”

Continua em Maio, no dia 11, Domingo, a 8ª edição do ciclo de passeios pedestres de interpretação da paisagem “Passos Contados”, com um percurso especialmente dirigido para famílias (pais e filhos, avós e netos).

Brincar com a cana e outros materiais vegetais
Com o artesão Domingos Romeira Vaz

11 Maio (Domingo)
Ponto de encontro: 9.30 em Santa Rita

Reque-reque

Gaiolas-grilo

A cana, abundante junto aos cursos de água e fácil de trabalhar, tem ainda no Algarve, inúmeros usos ligados às actividades rurais. Porém, a cana deu forma, ao longo dos tempos, a muitos elementos utilizados no âmbito de entretengas populares, tradições festivas e brincadeiras infantis. Foi matéria de eleição para a construção de muitos dos brinquedos infantis: pífaros, apitos, reco-recos, curre-curres, espingardas, gaiolas de grilo e até a estrutura dos papagaios de papel. Deambulando pelos campos para apanhar grilos, para ir aos pássaros, ou para mergulhos na ribeira próxima, transportando sempre a navalhinha no bolso, se passava junto de um canavial, das mãos da criançada podia sair o brinquedo que a necessidade ou o desejo ditasse no momento.

Apito

Gaiola-grilo

Usos da cana para fins lúdicos que remetem para um tempo em que, nos meios rurais, “brinquedos não os havia” ou “eram poucos”…. – como recordam os mais velhos – e os que havia eram inventados pela criança, construídos no momento, ao sabor da vontade. Ou então feitos pelos pais e avós. Utilizavam-se os materiais existentes no meio natural ou doméstico e estavam, por isso, profundamente ligados às matérias disponíveis, aproveitadas em contextos de pobreza e escassez de bens – “a necessidade faz o engenho” –, e transformadas com recurso a técnicas essencialmente manuais.

????????

Ao longo de um percurso pelo campo, iremos na companhia de um artesão, Domingos Romeira Vaz, cujas mãos hábeis trabalham a cana desde criança, aprender a fazer brinquedos de cana e outros materiais vegetais. Desafiam-se os mais hábeis a trazer no bolso a sua navalhinha.

Passos Contados… porque os caminhos, os lugares, as pessoas contam estórias. A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António propõe este ano novas experiências de interpretação e descodificação das paisagens culturais e naturais do sotavento algarvio. Nesta oitava edição iremos ouvir e observar pássaros do campo e da ria (Março); descobrir as plantas e os seus antigos usos na medicina e alimentação (Abril); aprender a fazer brinquedos em cana e outros materiais vegetais (Maio); conhecer as dietas alimentares antigas no Algarve a partir do registo arqueológico (Junho); procurar camaleões e outros habitantes nocturnos na envolvente de Cacela Velha (Julho); observar à noite estrelas e constelações e descobrir a sua importância na navegação marítima (Agosto); conhecer as paisagens antigas em Cacela a partir de afloramentos, rochas e fósseis (Setembro); terminaremos em Outubro com um percurso sobre a habitação e usos do território no Algarve Rural, ontem e hoje.

Informações
Os percursos realizam-se aos Sábados e Domingos, entre Abril e Outubro.
Pontos de encontro no CIIPC (antiga escola primária) em Santa Rita, na cisterna de Cacela Velha, ou em Vila Real de Santo António na Praça Marquês de Pombal, consoante o percurso.
Para os passeios diurnos deverá trazer merenda, cantil com água, calçado confortável, roupa leve, chapéu e protector solar. Para os percursos nocturnos deverá trazer roupa quente, calçado confortável e lanterna.
A organização reserva-se o direito de anular a realização de percursos caso se verifiquem condições climatéricas adversas.

Inscrições
Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela
Antiga Escola Primária de Santa Rita
Tel./ Fax: 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com
As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o seu nome e contacto.
Valor de inscrição – 3€

Organização
Câmara Municipal de Vila Real de Santo António
Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Arranque do projecto educativo “AS CASAS DOS NOSSOS AVÓS. A ARQUITECTURA POPULAR ALGARVIA”

Na continuidade do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido com a comunidade educativa na área da educação para o património, a Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, através do seu Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela, arrancou já com a primeira fase do novo projecto educativo “As casas dos nossos avós. A Arquitectura Popular Algarvia”, que decorre ao longo dos anos lectivos 2013/2014 e 2014/2015, estando neste momento a ter lugar as sessões de motivação em torno do tema, nas várias turmas que aderiram ao projecto.

Ao longo destas sessões, que envolvem a apresentação de um diaporama em sala de aula, as escolas do 1º, 2º e 3º ciclos do concelho de Vila Real de Santo António terão a hipótese de ver discutidas várias questões com os alunos: que percepções existem nestas gerações mais novas sobre a importância deste tipo de património, que diferentes expressões arquitectónicas se revelam dentro da própria região, que características têm cada uma delas, como se organizavam os diferentes elementos que constituem a casa, qual a importância deste muito valioso património arquitectónico vernáculo e popular, qual a sua relação com as pessoas e com a paisagem rural e regional e que importância adquire a casa enquanto elemento simbólico onde as chaminés e as platibandas ornamentadas – dois dos elementos mais característicos da arquitectura popular algarvia adquirem especial destaque.

Tem-se tentado também destacar os aspectos de sustentabilidade na organização e implantação da casa e dos diferentes elementos construídos, onde o acentuado sentido de pormenor e de decorativismo se encontra frequentemente presente, por vezes de forma subtil, onde as populações sempre souberam tirar o melhor partido das matérias-primas – pobres, por natureza, com uma enorme autonomia criativa e funcional, contornando as limitações que a natureza impunha, conseguindo, ao mesmo tempo, uma perfeita simbiose entre o homem e o meio ambiente.

Para além disto, tem-se procurado alertar também os alunos para uma paisagem em plena mutação e desaparecimento, estimulando-lhes o desejo de descoberta e exploração do território, sensibilizando-os para a importância do seu património construído local, através do desenvolvimento de um espírito crítico na procura de novas soluções a partir da paisagem construída.

Nesse sentido é entregue uma ficha de levantamento de um imóvel à escolha com vista à constituição de um roteiro/brochura da arquitectura popular do concelho, com os levantamentos produzidos pelos alunos. Da mesma forma, pretende-se que, a partir deste imóvel escolhido, seja produzida uma maquete que permitirá a realização de uma exposição, no final do projecto. A par destas actividades, serão realizadas ainda muitas outras acções, a decorrer ao longo deste e do próximo ano lectivo.

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2014 – «Peddypaper de descoberta do Património de Cacela»

DIMS 2014
O Município de Vila Real de Santo António volta a associar-se às comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios com um peddypaper de descoberta do património em Cacela, durante a manhã (9h30-12h30) do dia 16 de Abril (quarta-feira), em período de férias da Páscoa. Uma forma diferente e divertida de descobrir e conhecer a nossa história!

As crianças e jovens são convidados a participar neste desafio que articula provas de orientação e de conhecimentos. O jogo, na aldeia de Santa Rita e envolvente, propõe a descoberta de diversos elementos patrimoniais: fornos de cal, chaminés, eira, ermida, fonte, poço, moinho, azinheiras, barragem romana…
A equipa vencedora habilita-se a receber um prémio em materiais educativos e lúdicos sobre o património local.

Inscreve-te já!
[A inscrição é gratuita mas obrigatória]

O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios foi criado pelo ICOMOS a 18 de Abril de 1982 e aprovado pela UNESCO no ano seguinte. Esta comemoração tem como objectivo sensibilizar os cidadãos para a diversidade e vulnerabilidade do património, bem como para o esforço envolvido na sua protecção e valorização. Os temas anualmente sugeridos pelo ICOMOS pretendem promover a ligação efectiva entre as realidades locais, regionais, nacionais e internacionais, celebrando-se o património nacional, mas, também, a solidariedade internacional em torno da salvaguarda e da valorização do património de todo o mundo.

Inscrições / Informações:
281952600 // ciipcacela@gmail.com