Category: Percursos pedestres

Percurso PASSOS CONTADOS “O culto dos mortos na Pré e Proto-História”

Passeio Culto Mortos

Os “Passos Contados”, passeios pedestres de interpretação da paisagem em Cacela e Vila Real de Santo António, terminam em Outubro, com o percurso:

O CULTO DOS MORTOS NA PRÉ E PROTO-HISTÓRIA

Com os arqueólogos Catarina Oliveira e Nuno Inácio

15 Outubro (Domingo) Ponto de encontro: 9h30 em Santa Rita

A forma como o homem se relaciona com a morte tem-se materializado ao longo dos tempos de formas muito distintas. Existem porém constantes que se repetem em diferentes períodos históricos e geografias: a associação da morte ao ciclo de nascimento-morte- renascimento, observável no cosmos e na natureza; a necessidade de rituais funerários que assegurem ao morto uma boa passagem para o outro mundo; o culto dos antepassados procurando garantir a sua benevolência. A crença que os mortos têm influência no mundo dos vivos constitui, na verdade, um dos principais fundamentos de todas as crenças religiosas. Em diferentes épocas e de região para região esta convicção materializou-se e continua a materializar-se em distintos rituais funerários e crenças religiosas.

O registo arqueológico (localização das necrópoles, forma e orientação das sepulturas, disposição e tratamento do morto, inumação versus incineração, artefactos votivos, oferendas), pese embora não permitir reconstruir todo este complexo universo de gestos e crenças, fornece, para épocas mais remotas, evidências preciosas para uma aproximação ao universo fascinante das atitudes perante a morte e das relações entre o mundo dos vivos e dos mortos.

O túmulo megalítico de Santa Rita, dados sobre a sua localização, construção, orientação e ritual funerário (inumações e oferendas votivas) entre os III e I milénios a.C, vestígios arqueológicos na sua envolvente e uma aproximação ao que se sabe sobre necrópoles proto-históricas identificadas por Estácio da Veja há mais de uma centena de anos, serão ponto de partida para este percurso e reflexão associada sobre fenómenos de continuidade e mudança nas ideologias funerárias durante os últimos 3 milénios antes da nossa era.

Informações

Os percursos realizam-se aos Sábados e Domingos, entre Abril e Outubro. Pontos de encontro em Santa Rita no CIIPC (antiga escola primária), Cacela Velha (junto à cisterna) ou em Vila Real de Santo António (à porta do Arquivo Histórico Municipal), consoante o percurso. Para os passeios diurnos deverá trazer merenda, cantil com água, calçado confortável, roupa leve, chapéu e protetor solar. A organização reserva-se o direito de anular a realização de percursos caso se verifiquem condições climatéricas adversas.

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela/CMVRSA

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Tel. 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o nome e contacto e remetendo a ficha de inscrição em anexo.

Valor de inscrição – 3€

Organização

Câmara Municipal de Vila Real de Santo António

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

 

Anúncios

Percurso PASSOS CONTADOS “Matérias vegetais e seus usos: alcofas, vassouras, vasculhos, cordas”

Percurso usos mat vegetais.jpg

Continuam os “Passos Contados”, passeios pedestres de interpretação da paisagem em Cacela e Vila Real de Santo António, em Setembro, com o percurso:

MATÉRIAS VEGETAIS E SEUS USOS: ALCOFAS, VASSOURAS, VASCULHOS, CORDAS

Com artesãos do baixo guadiana

24 Setembro (Domingo) – Ponto de encontro: 9h30 em Santa Rita

 

A flora, rica e diversa, oferece-se desde tempos imemoriais a múltiplos usos.

A cestaria em cana é no Algarve uma atividade característica das zonas ribeirinhas do Vale do Guadiana, onde crescem abundantes canaviais. O entrelaçar da cana permite fazer os mais variados cestos, instrumentos de trabalho essenciais nas tarefas agrícolas e para o armazenamento e transporte de produtos.

A partir da palmeira anã fazem-se alcofas e balaios para acondicionar produtos agrícolas, esteiras para guardar e secar figos, gorpelhas para muares ou burros que acarretavam a azeitona, capacheiras para dentro se moer milho para o xerém, pinceis para caiar…Começava-se cedo nas artes da empreita, com as raparigas ajudando aos serões as mães a entrançar a palma em longas fitas.

Com a tabúa, que encontramos nas margens e leitos dos ribeiros depois de cortada e seca, faz-se o empalhamento dos assentos dos bancos e cadeiras com pés de loendro, tão tradicionais nas casas de fogo algarvias.

Da piteira, que encontramos nos valados a limitar as propriedades, tira-se o fio de pita com que se faziam as cordas para tirar água dos poços, para as rédeas das mulas ou as fundas para os pastores atirarem ao gado, …

Antigamente, também as vassouras e vasculhos usados para o asseio das casas se faziam-se com folhas de palma ou de esparto unidas à volta de um cabo de madeira ou cana com baracinha (um cordel delgado de palma ou esparto).

Nos meios rurais mantêm-se vivos alguns destes saberes e técnicas e transmitidos de geração em geração pela oralidade e observação. Através do contacto com artesãos no Baixo Guadiana, vamos conhecer os usos antigos de diversas matérias vegetais (palmeira anã, pita, cana, tabua, esparto…) disponíveis no território.

O percurso está integrado na programação das Jornadas Europeias do Património, este ano com o tema “Património e Natureza”. 

 

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela/CMVRSA

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Tel. 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o nome e contacto.

Valor de inscrição – 3€

Organização

Câmara Municipal de Vila Real de Santo António

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

 

Continuam os “Passos Contados”, passeios pedestres de interpretação da paisagem em Cacela e Vila Real de Santo António, em Agosto, com o percurso:

OBSERVANDO AS ESTRELAS E AS CONSTELAÇÕES

Com os astrónomos Filipe Dias e Ricardo Freitas

26 Agosto (Sábado)

Ponto de encontro: 21h00 em Santa Rita

O Céu sobre Santa Rita, após o ocaso de Júpiter e do crescente lunar, mostrar-nos-á algumas figuras desenhadas com estrelas que nos ajudarão a guiar o percurso através de pontos pitorescos de relevo nesta vila. Será uma viagem no tempo, guiada pelas orientações das estrelas, das histórias nelas contadas, e das vidas pelos habitantes vividas. Como se o percurso fosse um caminhar no tempo, observaremos as mudanças na paisagem celeste de verão, quer com os próprios olhos desarmados — entre um guardião da carroça, um escorpião e um cavalo alado — quer mais de “perto” com diferentes telescópios.
Filipe Dias é Mestre em Computação Gráfica e Multimédia, após Licenciatura em Engenharia Informática e Computadores também pelo Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa. A ligação à Astronomia estabeleceu-se em 2005 e colabora nesta área com o Centro Ciência Viva do Algarve desde 2009, onde é agora responsável por estas atividades.

Ricardo Freitas é licenciado em Engenharia Física pela Universidade de Aveiro. Desde 2012 que exerce funções no Centro Ciência Viva de Tavira em comunicação de ciência nas suas diversas áreas. Em 2014, começou o seu interesse pela astronomia quando participou num projecto com uma escola e actualmente é o responsável da astronomia neste centro.

Informações

Os percursos realizam-se aos Sábados e Domingos, entre Abril e Outubro.

Pontos de encontro em Santa Rita no CIIPC (antiga escola primária), Cacela Velha (junto à cisterna) ou em Vila Real de Santo António (à porta do Arquivo Histórico Municipal), consoante o percurso.

Para os passeios diurnos deverá trazer merenda, cantil com água, calçado confortável, roupa leve, chapéu e protetor solar. Para os percursos noturnos deverá trazer roupa quente, calçado confortável e lanterna.

A organização reserva-se o direito de anular a realização de percursos caso se verifiquem condições climatéricas adversas.

 

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela/CMVRSA

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Tel. 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o nome e contacto e remetendo a ficha de inscrição em anexo.

Valor de inscrição – 3€ (passeio)

Organização

Câmara Municipal de Vila Real de Santo António

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Continuar a ler

Percurso Passos Contados UM DIA NA SAFRA DO SAL

Continuam os “Passos Contados”, passeios pedestres de interpretação da paisagem em Cacela e Vila Real de Santo António, em Julho, com o percurso:

 UM DIA NA SAFRA DO SAL

Com os produtores de sal Jorge Filipe Raiado e Sandra Madeira e salineiros

22 Julho (Sábado); Ponto de encontro: 17h30 em Vila Real de Santo António à entrada do Arquivo Histórico Municipal

As salinas da Salmarim situam-se em plena Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António, em salinas centenárias, mas num local onde se colhe sal desde a idade do ferro. E assim começa a nossa viagem, com os pés na terra, tomada às águas, séculos atrás. Com o passar dos séculos estes jardins brancos mudaram, com introdução de novas técnicas / processos de produzir sal, como a actual forma de circular a água até chegar ao cristalizador ou por razões de catástrofes naturais… até à actual flor de sal, o tal coalho que era desdenhado ao longo dos tempos, afundado, indesejado, agora colhido de modo artesanal, pacientemente…
 E como colhemos, partilhamos! Sem sal o corpo sucumbe, a alma abandona-nos, mas este prazer tem de ser moderado. Vamos fazer uma viagem através da salina, colher sal e plantas, umas mais saborosas que as outras e no final, ao fresco provar sal, entendê-lo e temperar o que se quer comer.

Estaremos no interior de uma Reserva Natural, a mais antiga de Portugal, da qual todos nós somos apenas fieis depositários dum Património Imaterial que devemos preservar. É dever de todos nós preservá-la!
 A SALMARIM nasce em 2007 do projecto familiar de Sandra e Jorge Filipe, o mesmo ano em que nasce o João, o filho mais velho. Jorge Filipe é adoptado por este terroir moldado pela mão humana, que são as salinas tradicionais de Castro Marim, e da paixão pela gastronomia surgiu o desejo de colher uma flor de sal de excelência, para os chefes de cozinha, e para ser partilhada à mesa de todos. Este reconhecimento é transversal aos gastrónomos e profissionais, tendo a Salmarim sido reconhecida em 2016 pela Confraria dos Gastrónomos do Algarve e em 2017 pela Revista Wine com prémios de Produto Artesanal.

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela/CMVRSA

Tel. 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o nome e contacto e remetendo a ficha de inscrição em anexo.

Valor de inscrição – 3€ (passeio) + 2 € (degustação)

 Organização

Câmara Municipal de Vila Real de Santo António / Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

 

Percurso PASSOS CONTADOS “AGRICULTURA MEDITERRÂNICA: IDENTIDADE E MEMÓRIA”

Agricultura mosaico

Continuam os “Passos Contados”, passeios pedestres de interpretação da paisagem em Cacela, em Junho, com o percurso:

AGRICULTURA MEDITERRÂNICA: IDENTIDADE E MEMÓRIA

Passeio na natureza + oficina de sementes

Com a Engenheira hortofrutícola Ana Arsénio

4 Junho (Domingo)

Ponto de encontro: 9h30 no CIIPC em Santa Rita (passeio); 14h30 (oficina de sementes)

Em Cacela, vamos descobrir uma paisagem marcada por campos de alfarrobeiras, amendoeiras e figueiras, pomares de citrinos, olivais, culturas de sequeiro de cereais e leguminosas (favas, ervilhas e grão de bico) e hortas tradicionais. Elementos que revelam uma memória e uma identidade que será explorada na perspectiva da Agricultura Mediterrânica.

Ao longo do percurso vamos interpretar a paisagem, desde muros, sistemas de rega, toponímia dos locais, e falar dos ciclos agrícolas, das culturas (hortícolas e frutícolas de sequeiro e regadio), das técnicas de cultivo e heranças deixadas pelos nossos antepassados.

Para além do passeio interpretado decorrerá, depois do almoço, uma oficina de sementes. As variedades locais são parte da identidade local e património agrícola, fundamentais para alimentação das regiões mediterrânicas.  Esta oficina pretende informar e sensibilizar para a importância de conservar e manter a produção destas variedades.

Sugerimos que tragam uma merenda para um piquenique no campo à hora do almoço.

Ana Arsénio é técnica superior agrícola na Associação IN LOCO e licenciou-se em Engenharia Horto-Frutícola pela Universidade do Algarve. Tem participado em vários projectos ligados ao mundo rural e à agricultura biológica, nomeadamente, o PROVE e Iniciativa aHorta. Dinamiza várias oficinas sobre a temática da agricultura e é formadora em cursos de formação ligados também a esta temática. É também sócia da Associação Colher para Semear.

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela/CMVRSA

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Tel. 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o nome e contacto e remetendo a ficha de inscrição em anexo.

Valor de inscrição – 3€ (passeio e oficina)

 

Percurso PASSOS CONTADOS “EM BUSCA DAS PLANTAS MEDICINAIS E SUAS APLICAÇÕES NA SAÚDE”

DSC_2261

Continuam os “Passos Contados”, passeios pedestres de interpretação da paisagem em Cacela e Vila Real de Santo António, em Maio, com o percurso:

EM BUSCA DAS PLANTAS MEDICINAIS E SUAS APLICAÇÕES NA SAÚDE

Passeio na natureza e oficina de plantas medicinais

Com o naturopata João Beles

7 Maio (Domingo) Ponto de encontro: 14h30 em Santa Rita

As plantas medicinais são uma biblioteca viva de conhecimento sobre a nossa saúde. Ao longo da tarde, iremos, com o naturopata João Beles, aprender qual a aplicação medicinal de cada uma das plantas que, nesta altura do ano, nascem espontaneamente nos caminhos de Santa Rita. O percurso terá a duração de 2 horas e a oficina no CIIPC de 1 hora.

João Beles, naturopata e acupunctor inscrito na ACSS. Professor de Naturopatia do IMT – Instituto de Medicina Tradicional de Lisboa desde 2003. Autor dos livros “Naturopatia, a natureza cura a natureza”, 2011 (reeditado em 2016) e “As plantas medicinais que emagrecem”, 2014. Divulgador científico de Naturopatia em vários congressos, revistas e programas de televisão. Membro do conselho científico da revista de saúde Prevenir desde 2006. Membro do Grupo de Peritos da ACSS para as Terapêuticas não convencionais.

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela/CMVRSA

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Tel. 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o nome e contacto.

Valor de inscrição – 3€ (passeio) + 2€ (oficina)

Organização

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela / Câmara Municipal de Vila Real de Santo António

 

 

Percurso Passos Contados “CONHECER A FLORA DO ALGARVE”

flora cabeço

Estão de volta os “Passos Contados”, passeios pedestres de interpretação da paisagem em Cacela e Vila Real de Santo António. Este ano abrimos a 11ª edição, em Abril, com o percurso:

CONHECER A FLORA DO ALGARVE

Com o arquitecto paisagista Ricardo Canas

9 Abril (Domingo) – Ponto de encontro: 9h30 em Cacela Velha

A flora silvestre que marca e identifica a paisagem algarvia é de uma variedade e riqueza extraordinárias, constituindo-se no seu conjunto como um importante valor patrimonial a conhecer e preservar. Na verdade, o Algarve, fruto da sua situação geográfica e de condições edafo-climáticas particulares é um dos centros de maior diversidade botânica no nosso país, coexistindo espécies nativas com outras de diferentes proveniências mas que se encontram naturalizadas.

Neste percurso orientado pelo arquitecto paisagista Ricardo Canas, profundo conhecedor da nossa flora, começaremos com uma visita ao Jardim representativo da flora do Algarve na várzea de Cacela onde seremos recebidos pela sua guardiã Teresa Patrício. Trata-se de um valioso projeto de gestão e conservação da paisagem de Cacela onde podemos encontrar dezenas de espécies autóctones. De seguida partiremos de carro (nas viaturas dos participantes) até ao Pinhal do Cabeço (c. de 8 kms) onde ficaremos a conhecer uma grande diversidade de espécies, algumas muito particulares.

Ricardo Canas tem licenciatura em Arquitetura Paisagista (2006), mestrado (2011) e doutoramento (2015) em gestão e conservação de ecossistemas, tendo lecionado na Universidade de Évora e Universidade do Algarve (2012-2014) e é Prof. Convidado da Universidade do Algarve (2015-2016; 2016-2017). As atividades científicas desenvolvidas relacionam-se com estudos de investigação botânica e de ciências da vegetação (geobotânica), principalmente no Sul de Portugal.

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela/CMVRSA

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Tel. 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o nome e contacto.

Valor de inscrição – 3€.

Organização

Câmara Municipal de Vila Real de Santo António

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela