Poesia na Rua

Poesia na rua, 3ª edição, 2012

Em Setembro, no dia 16, a poesia voltou às ruas de Cacela pelo terceiro ano consecutivo, chamando muitas pessoas que puderam, de manhã, participar em actividades infantis (histórias que rimam, peixinhos poéticos, caça ao poema); durante a tarde, ouvir falar sobre Almada Negreiros, participar na apresentação de duas antologias poéticas recentemente editadas “Algarve: 12 poetas ao sul do séc. XXI” e “Poetas do Guadiana”, homenagear António Ramos Rosa; ao fim da tarde, acompanhar um percurso poético pelas heranças poéticas do al-Andaluz evocando Ibn-Darraj, al-Mu’tamid, Ibn-Ammar; e à noite participar nos “poemas ao ritual da Igrejinha”, um momento festivo que já faz tradição, juntando poetas e Banda Filarmónica de Vila Real de António. Muitos sentaram-se no largo da fortaleza lendo os muitos livros de poesia disponíveis junto aos cadeirões, passearam-se pelas ruas lendo os poemas que pendiam nas paredes ou presos nos estendais da poesia ou compraram livros no mercado que animou a vila.

Poesia_na_Rua_2012_CartazA3-1

PROGRAMA - Poesia na rua 2012

PROGRAMA – Poesia na rua 2012

 

 

 

—–

Poesia na Rua, 2ª edição, 2011

Em Julho Cacela Velha voltou a celebrar a poesia. Durante os dias 15 e 16, as ruas encheram-se literalmente de poesia: lonas com poemas nas paredes de casa, estendais com poemas, conversas com poetas, apresentação de livros, poesia do al-Andalus, actividades infantis, oficinas de ilustração de poemas, gritos poéticos, poesia a descer dos telhados, mercado de rua com livros e artes ligadas à escrita e à literatura,…

As noites iluminaram-se ainda com concertos dos GUTA NAKI e NOISERV. No sábado à noite, os poetas presentes (Margarida Ferra, Paulo Moreiras, Fernando Esteves Pinto, Rogério Cão, António Baeta, poetas de Vila Real de Santo António, entre muitos outros) e banda filarmónica juntaram-se para recriar o ritual da Igrejinha ao ritmo de um poema, toque da banda e foguete.

Poesia na Rua

—–

 

Poesia na Rua, 1ª edição, 2010

Em Setembro Cacela Velha celebrou a poesia. Tendo como ponto de partida a herança poética de Ibn Darraj al-Qastalli, natural de Cacela onde nasceu em 958, bem como de outros poetas que escreveram sobre Cacela Velha ou aqui viveram (Abû al-‘Abdarî, Sophia de Mello Breyner Andresen, Eugénio de Andrade, Teresa Rita Lopes, Adolfo C. Gago), “Poesia na rua” constituiu-se como um grande momento cultural em redor das palavras escritas ou ditas em voz alta, mas também de animação, de festa e de partilhas.

As ruas encheram-se literalmente de poesia durante os dias 17 e 18: haviam lonas com poemas nas paredes de casa e estendais com poemas pendurados com molas de roupa, disse-se poesia popular no cemitério antigo, falou-se sobre poesia no largo da fortaleza à sombra das palmeiras, leram-se livros de poesia nas confortáveis cadeiras da biblioteca municipal, que aí marcou presença, cantou-se poesia à noite no interior da igreja, crianças e jovens lançaram barcos de papel com poemas à ria, criaram textos em ateliers de escrita criativa e percorreram a vila no jogo da caça ao poema. No sábado à noite, os poetas presentes (valter hugo mãe, José Mário Silva, Carlos Mota de Oliveira, Teresa Rita Lopes e muitos outros) e banda filarmónica juntaram-se para recriar o ritual da Igrejinha ao ritmo de um poema, toque da banda e foguete.

WEBPoesiaNaRua-1WEBPoesiaNaRua-2

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s