Já saiu um novo número do Tomilho (Janeiro/ Fevereiro), nº 43.

O Tomilho é o boletim do CIIPC / CMVRSA, com edição bimensal, no qual se dá conhecimento das nossas actividades, mas onde se dá também voz à população publicando fotografias antigas e registando memórias, saberes-fazeres, tradições festivas, receitas e objectos. Um instrumento valioso que vem garantindo um envolvimento da população local no trabalho que desenvolvemos.

Neste número, damos destaque a uma importante figura da nossa história local, João Bernardino Pires, mais conhecido por João da Venda, cuja dinâmica empresarial em meados do séc. XX esteve ligada inicialmente a uma venda no Sítio da Ponte, e posteriormente a um fumeiro de figo seco. Na envolvente, teve ainda uma unidade ligada à amêndoa, à alfarroba, um lagar e uma padaria.

Boas leituras!

Advertisement

ACONTECEU NO CIIP CACELA EM 2022

Ao longo do ano o Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela / Câmara Municipal de Vila Real de Santo António continuou a dinamizar projectos e actividades em torno da investigação, interpretação, usufruto e educação para o património em todo o concelho e programação cultural em Cacela Velha.

Aqui fica o balanço “ilustrado”, para que possamos recordar e pensar sobre o trabalho realizado, que é também de todos aqueles que estiveram connosco (presencialmente ou à distância) e se envolveram nas nossas actividades.

DESTAQUE

Este Verão, as escavações arqueológicas regressaram a Cacela Velha, retomando trabalhos de 2018 e 2019, depois de 2 anos de interregno provocados pela pandemia. As escavações integram o projecto de investigação “Muçulmanos e Cristãos em Cacela Medieval: território e identidades em mudança” que resulta de uma parceria entre a Direcção Regional de Cultura do Algarve, a Universidade do Algarve, a Simon Fraser University do Canadá e o Município de Vila Real de Santo António. Os trabalhos arqueológicos decorreram na Necrópole cristã e bairro islâmico do Poço Antigo; e realizou-se ainda uma sondagem arqueológica na necrópole islâmica da Várzea Norte.

1. INVESTIGAÇÃO

TÚMULO MEGALÍTICO DE SANTA RITA – PRÉ-HISTÓRIA

Foi apresentada ao Município de VRSA a maquete final da monografia sobre o Túmulo Megalítico de Santa Rita pelos representantes da equipa que coordena o projecto de investigação (Nuno Inácio, arqueólogo responsável pelos trabalhos arqueológicos no monumento megalítico de Santa Rita e Francisco Nocete, Professor Catedrático da Universidade de Huelva e responsável pelo grupo de investigação M.I.D.A.S. III MILENIO ANE). Neste momento desenvolvem-se diligencias para uma publicação conjunta entre o Município de VRSA e a direcção Regional de Cultura do Algarve, o que permitirá a merecida divulgação do valor científico, histórico e patrimonial deste singular monumento pré-histórico.

CACELA VELHA – PERÍODO MEDIEVAL

Este Verãoas escavações arqueológicas regressaram a Cacela Velha. A campanha integrou o projecto de investigação “Muçulmanos e Cristãos em Cacela Medieval: território e identidades em mudança”. Visou não só consolidar a informação histórico-arqueológica já adquirida, mas principalmente, obter novos dados que permitam alargar e detalhar o conhecimento sobre o território onde a povoação de Cacela se estabeleceu, bem como sobre as comunidades humanas que o habitaram ao longo da Idade Média (sécs. X–XV).

O campo de trabalho teve início no dia 27 de Junho com uma equipa constituída por dez elementos de Portugal (Universidade do Algarve, Camara Municipal de Vila Real de Santo António e Direcção Regional de Cultura do Algarve) e quinze elementos do Canadá (Simon Fraser University).

Os trabalhos arqueológicos decorreram na Necrópole cristã e bairro islâmico do Poço Antigo; e realizou-se ainda uma sondagem arqueológica na Necrópole islâmica da Várzea Norte. As três sepulturas revelaram enterramentos de tipo islâmico: orientação do corpo para nascente, e colocação em posição lateral. Parecem não restar dúvidas de que se trata da necrópole islâmica da antiga Qastalla Darrag.

Durante a campanha realizou-se um Dia Aberto do Campo Arqueológico (11 de Julho) e foi publicada a rúbrica “Caderno de Campo das escavações arqueológicas” no Facebook do CIIPC, onde se foi dando conta do decorrer dos trabalhos.

Na sequência da campanha de escavações arqueológicas durante o Verão, as preocupações orientaram-se no último trimestre do ano para a conservação do sítio arqueológico e para os materiais em depósito, seu tratamento e estudo.

Ao longo do ano, no CIIPC continuou o estudo das colecções de cerâmicas islâmicas de Cacela Velha (descrição analítica e tipológica, desenho técnico, fotografia); organização e actualização do inventário do espólio cerâmico arqueológico em depósito no CIIPC; inserção de dados na base de dados para o estudo da “Uniformização da Cerâmica Islâmica de Cacela”; bem como acções de limpeza da vegetação e manutenção do sítio arqueológico do Poço Antigo.

PATRIMÓNIO RURAL VERNÁCULO HISTÓRIA LOCAL E O PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL DE CACELA

O Património rural vernáculo, a história local e o património cultural imaterial da freguesia de Vila Nova de Cacela assumiram-se durante o ano, como um dos eixos de investigação do CIIPC. Desenvolveram-se levantamentos e pesquisa sobre os terços da Quaresma; enxovais e tradições ligadas ao casamento; história e memórias do Casino da Manta Rota; a fábrica de cerâmica “Companhia Algarviense” no sítio da Fábrica; feiras e mercados municipais, com especial enfoque na feira anual de Santa Teresa; Monte dos Tamissa (Cacela) e antigos lagares de azeite; fumeiro de João da Venda; e cemitérios Cacela Velha

Realizaram-se ainda visita a artesãos e produtores locais para recolha e registo de saberes-fazeres.

Foram publicados textos de divulgação sobe estas temáticas no nosso boletim “O Tomilho”.

2. VALORIZAÇÃO, DIVULGAÇÃO E USUFRUTO DO PATRIMÓNIO

PASSEIOS E VISITAS

Continuaram os “Passos Contados”, passeios pedestres de interpretação da paisagem em Cacela e Vila Real de Santo. Nesta 15ª edição, sete passeios temáticos distribuídos entre Abril e Outubro, propuseram novas experiências de interpretação e descodificação das paisagens culturais, seus valores naturais e elementos patrimoniais, no sotavento algarvio. Uma forma diferente e estimulante de conhecer o nosso património, conversando com os orientadores dos percursos e numa relação próxima com a natureza.

Este ano começámos, em Abril, com um percurso sobre fauna e flora nos sistemas dunares de Cacela, orientado pelas biólogas Ana Moura e Paula Moura; em Maio fomos descobrir moinhos de água e de vento em Cacela com os historiadores Luís Palma, Catarina Oliveira e a socióloga Susana Araújo; em Junho propusemos um percurso na Manta Rota para conhecer as suas origens, tradições e mudança, orientado pelo arquitecto Carlos Henriques Ferreira e com a participação de pescadores da Praia da Lota; em Julho demos a conhecer os resultados da nova campanha arqueológica no Sítio do Poço Antigo e a presença de muçulmanos e cristãos na Cacela medieval com as arqueólogas Cristina Garcia, Maria João Valente, Patrícia Dores e o antropólogo físico Hugo Cardoso; em Agosto fizemos um passeio ao amanhecer sobre a alfarroba (que incluirá a sua apanha), antigas tradições e perspectivas de futuro guiado pelo produtor João Sol; em Setembro fomos descobrir uva, a vinha e a produção artesanal de vinho em Cacela; terminámos em Outubro com um passeio sobre a Carta Topográfica de Sande Vasconcelos, estrutura fundiária e actividades económicas na Cacela de 1775, orientado pelo geógrafo Manuel Rato.

EXPOSIÇÕES NO CIIPC

Manteve-se no CIIPC a exposição “Profissões Antigas de Cacela” (entre Janeiro e Junho e entre Setembro e Novembro) que resulta de trabalho de campo, desenvolvido pela equipa do CIIPC, junto de 10 profissionais na zona de Cacela: agricultor, barbeiro, mestre caleiro, cesteiro, costureira, empalhador de cadeiras, merceeira, pastor, mariscador, pescador e calafate.

EXPOSIÇÃO “PRÁTICAS SITUADAS – UTILIDADES E PERSPECTIVAS ARTESANAIS”

Patente entre entre 11 Janeiro e 20 de Fevereiro

Ao longo do seu primeiro ano de existência, a plataforma Origem Comum colaborou com vários artesãos e, em conjunto, foram revisitadas técnicas, formas e modelos ancestrais. Desta colaboração resultou uma colecção de objectos utilitários simples, destinados ao quotidiano contemporâneo, concebidos com cinco materiais naturais, desenvolvidas em diferentes territórios do país.

EXPOSIÇÃO “OLHARES SOBRE O PATRIMÓNIO DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO”

Trabalhos de pintura e gravura realizados pelos alunos do Agrupamento de Escolas VRSA com os Professores Carla Mourão e Elias Nunes.

Patente entre 10 Outubro e 25 de Novembro

No final do ano voltámos a armar o PRESÉPIO ALGARVIO com a participação dos habitantes da aldeia de Santa Rita. Recupera-se desta forma o costume Algarvio de, em Dezembro, se armar o presépio e o “altarinho” de cariz popular. Nas casas, em cima da cómoda, elevado ao centro em degraus, colocava-se o menino Jesus, cercado de searinhas, laranjas e outros frutos (figos, alfarrobas, romãs…), votos de pão e de prosperidade para a família.

3. EDUCAÇÃO PARA O PATRIMÓNIO

ACÇÕES CONTINUADAS

O CIIPC continua a colaborar activamente com o Projecto “À Descoberta das 4 Cidades”, desta vez na dinamização da acção educativa para os anos lectivos (2021/2022 e 2022/2023): “RECRIA A HISTÓRIA DA TUA TERRA/CIDADE”.

No âmbito de visita a Cacela Velha de turma do 1º ano da EB1 Manuel Cabanas (inserida neste projecto), dinamizou-se no dia 4 de Maio a actividade “Vem conhecer os mouros que viveram em Cacela a partir dos objectos cerâmicos do sítio arqueológico do Poço Antigo”.

ACTIVIDADES EDUCATIVAS PONTUAIS NO ÂMBITO DA OFERTA EDUCATIVA MUNICIPAL

O CIIPC contribuiu para o enriquecimento da oferta educativa para as escolas do concelho com várias propostas, tendo dinamizado (durante o 2º e 3º período do ano lectivo 2021/22 e do 1º Período do ano lectivo 2022/23) as seguintes acções educativas com turmas do pré-escolar, primeiro e segundo ciclo de Vila Nova de Cacela, Monte Gordo e Vila Real de Santo António.

Acção educativa “Qual é coisa, qual é ela? Adivinhas da nossa tradição oral”

Quando alguém pergunta “Qual é coisa, qual é ela”, rapidamente o ouvinte percebe que vai ser desafiado para responder a uma adivinha. As adivinhas ligam-se a saberes ancestrais relacionados com a língua, a natureza, o corpo, os ciclos produtivos, as relações sociais e de parentesco e crenças. Nesta actividade brincamos com as adivinhas através de um jogo cheio de desafios que envolve objectos que remetem para as soluções.

Dinamização da actividade com 7 turmas do 1º ciclo de Vila Nova de Cacela e Monte Gordo.

Acção educativa “O que a terra nos dá. Para que servem as plantas?”

A flora Algarvia, rica e diversa, oferece-se desde tempos imemoriais a múltiplos usos.

A actividade, dinamizada no Jardim da Várzea de Cacela Velha, inicia-se com uma conversa em roda sobre a importância das plantas e os seus usos. Segue-se um percurso, com momentos de observação e identificação das espécies através das formas, textura, cores e cheiros das suas raízes, troncos, folhas, flores e frutos. No final, através de um jogo, relacionam-se as plantas da nossa região e os seus diversos usos (aromatizar, comer, dar cheiro, curar, brincar, tingir, criar objectos úteis no quotidiano,…).

Dinamização da actividade com 9 salas de Jardins de Infância de Monte Gordo, Vila Real de Santo António e 1 turma do 1º ciclo de Vila Nova de Cacela. Com a colaboração do Jardim Representativo da Flora Algarvia da Várzea de Cacela.

Acção educativa “As profissões e a água”

Acção educativa continuada inserida no projecto comum “Meter água” dinamizado pela Rede de Museus do Algarve (RMA-EDU). A água é vida. Necessitamos de água para beber, regar, cozinhar, lavar, curar… Desde sempre o homem se fixou junto a cursos e nascentes de água para garantir o acesso a este precioso bem e com o seu engenho e arte procurou dele tirar partido para a sua sobrevivência e actividades. Nesta acção exploram-se profissões e actividades relacionadas com a água doce e salgada (o aguadeiro, a lavadeira, o vedor, o agricultor, o pescador, a salineira,…), ao longo de vários momentos: Introdução ao tema com objectos associados às profissões e fotografias antigas; Experimentação de actividades ligadas à água (tirar água do poço, regar horta, lavar a roupa no tanque,…).

Dinamização da actividade com 2 turmas do 1º ciclo de Vila Nova de Cacela.

Acção educativa “Cal, cor e platibandas na arquitectura popular algarvia”

A casa popular algarvia liga-se ao território local e recursos disponíveis (pedra, barro, cal, pigmentos, matérias vegetais). A chaminé e a platibanda (elemento horizontal de remate da parte superior da casa) são elementos singulares e identificadores da arquitectura no Algarve.

Nesta acção com 3 momentos, a partir das fachadas de casas características da arquitectura popular algarvia, explorámos a importância da cal e da cor no revestimento das casas e na ornamentação das platibandas. A partir das platibandas decoradas ficamos a conhecer os pigmentos naturais utilizados (alguns extraídos de terras da região), experimentamos recriar motivos decorativos e decorar platibandas com cal e pigmentos.

Dinamização da actividade com 2 turmas do 2º ciclo de Vila Real de Santo António e 1 turma de 1º ciclo de Vila Nova de Cacela.

Acção educativa “Arqueólogo por uma manhã”

Numa caixa arqueológica com estratigrafia e artefactos arqueológicos de diversas épocas, as crianças e jovens transformam-se em pequenos arqueólogos utilizando as ferramentas e técnicas da profissão. Desta forma proporciona-se aos mais novos um melhor conhecimento desta ciência e das principais práticas associadas; e sensibilizar a preservação e valorização do património arqueológico da região.

Dinamização da actividade no CIIPC com 2 turmas do 1º ciclo de Vila Nova de Cacela e de Monte Gordo; e no sítio do Poço Antigo (Cacela Velha) com 1 turma do 1º ciclo de Vila Nova de Cacela.

Peddy-paper “À descoberta do património de Cacela Velha”

De forma lúdica e divertida, o jogo promove um percurso pela vila e zona envolvente, onde os participantes respondem a um conjunto de questões e realizam tarefas que se prendem com a história e o património de Cacela Velha.

O que nos contam as ruas, as casas, a paisagem de Cacela Velha? Que momentos históricos são relevantes na história deste lugar? Quem eram os seus habitantes? Como ocuparam o espaço e utilizaram os recursos naturais?

Dinamização da actividade com 2 turmas do 2º ciclo de Vila Nova de Cacela.

Acção educativa “Do grão ao pão”

Acção educativa continuada inserida no projecto comum “Ciclo do Pão” dinamizado pela Rede de Museus do Algarve (RMA-EDU)

Alimento central nas dietas alimentares de diferentes civilizações e no quotidiano das populações algarvias, o pão tem uma história muito antiga e resulta de um ciclo que vai do semear do grão à mesa passando por diversos momentos: semear, colher, debulhar, moer, amassar, cozer e comer.

No 1º período do ano lectivo 2022/23 realizou-se uma introdução ao tema com exploração de objectos e fotografias antigas, estendal do ciclo do pão; searinhas na escola com as 3 turmas envolvidas, 2 do 1º ciclo de Vila Nova de Cacela e 1 do 2º ciclo de Vila Real de Santo António.

Continuaram no CIIPC as OFICINAS REGULARES, NA ÁREA DO PATRIMÓNIO, DAS ARTES E DOS SABERES FAZERES-TRADICIONAIS para o público em geral.

OFICINA DE INICIAÇÃO ÀS ARTES DA EMPREITA COM PALMA orientada pela artesã Ana Maria Afonso

Para público em geral, no CIIPC, Santa Rita. No dia 20 Fevereiro

A empreita é um dos elementos identificadores da “cultura material algarvia”, pelo aproveitamento da palmeira anã (Chamaerops humilis), planta autóctone característica do Barrocal e Serra – e pelos seus usos antigos para o acondicionamento e transporte de bens, trabalhos do campo, artes da pesca ou arrumos e asseio da casa. Nesta oficina convidámos os participantes a iniciarem-se nas artes da empreita.

OFICINA “CAÇA SONHOS. Vem criar o teu! ” orientada por Joana Rocha

Para miúdos e graúdos, no CIIPC, Santa Rita. No dia 13 Março.

Nesta oficina aprendeu-se a criar um caça-sonhos desde a sua estrutura até à sua decoração, com diferentes materiais: madeira, linhas, pedras, fitas, arame, fios e as tradicionais penas. Ficámos também a conhecer melhor este objecto mágico, os elementos que o constituem e o que significam.

OFICINA VEM CRIAR UM MAIO

Para público em geral e crianças em férias escolares da Páscoa, no CIIPC, Santa Rita. No dia 12 Abril.

Nesta oficina demos conhecer as festividades antigas associadas ao ciclo da Primavera, e criámos Maios que saíram à rua em Santa Rita no dia 1 de Maio, encenando quadras e dizeres.

OFICINA “VAMOS CONSTRUIR UMA MARIONETA” orientada pela Professora de Artes Elisabete Isabel

Para público em geral, no CIIPC, Santa Rita. No dia 26 de Junho.

Nesta oficina desafiaram-se os participantes criar uma marioneta. As marionetas que saíram das mãos dos pequenos e grandes artistas, a partir de materiais tão simples como o cartão, foram surpreendentes.

OFICINA DE VASSOURAS EM PALMA orientada pela artesã Albina Sequeira

Para público em geral, no CIIPC, Santa Rita. No dia 24 de Setembro

No âmbito das Jornadas Europeias do Património, este ano com o tema: património sustentável.

Nos meios rurais mantêm-se vivos saberes e técnicas que evidenciam a transformação e uso sustentável das matérias vegetais. Por todo o país, muitas espécies (eram usadas para criar vassouras e vasculhos com usos diversos: varrer a casa, as paredes antes da caiação, a rua do monte, limpar o forno do pão, varrer o cereal nas eiras, caiar…. No Algarve, o mais comum era utilizarem-se as folhas de palma. Nesta oficina um grupo entusiasta de participantes aprendeu a criar vassouras em palma.

OFICINA “VAMOS LAVAR A LOUÇA?”. Lavagem, identificação e funcionalidades dos “cacos” orientada por Patrícia Dores

Para público em geral, no CIIPC, Santa Rita. No dia 22 de Outubro

A oficina “Vamos lavar a louça”, teve como objectivo proporcionar aos participantes o contacto directo com os achados cerâmicos recolhidos na última campanha arqueológica do sítio do “Poço Antigo” em Cacela Velha. A oficina contemplou lavagem de fragmentos cerâmicos; conversa e apresentação de peças da colecção de cerâmicas islâmicas de Cacela, abordando as suas funcionalidades, aspectos de fabrico e o simbolismo associado à decoração que apresentam; e correspondência entre os fragmentos lavados e as peças da colecção.

OFICINA VAMOS ILUSTRAR O POMAR DE SEQUEIRO. Alfarrobeiras, amendoeiras, figueiras, oliveiras e outros seres vivos. Orientada pela arquitecta e ilustradora Marta Santos

Para público em geral, no CIIPC, Santa Rita. No dia 13 de Novembro.

Nesta oficina, com orientação da arquitecta e ilustradora Marta Santos, os participantes ficaram a conhecer melhor pomar tradicional de sequeiro, suas árvores, flores e frutos e usos. Por meio de diversas técnicas de desenho e pintura, ilustraram diversos elementos vegetais, flora e fauna associada.

OFICINA DE NATAL Coroas de Natal. Orientada por Rosália Campos

Para público em geral, no CIIPC, Santa Rita. No dia 3 de Dezembro

O CIIPC / CMVRSA propôs uma oficina de Natal onde miúdos e graúdos puderam criar coroas de Natal com folhagem local. Usando folhas e frutos da região os participantes deram asas à imaginação e criaram uma coroa original para colocar, neste Natal, à entrada da nossa casa ou usar como centro de mesa.

Ao longo do ano recebemos a visita regular de utentes da Asmal – Associação de Saúde Mental do Algarve e de grupos com necessidades educativas especiais com quem dinamizámos diversas visitas/oficinas:

Com a Asmal

Visita à exposição “Profissões Antigas de Cacela” com visionamentos de filmes do Projecto Documentar Cacela, CIIPC, Santa Rita, 24 Março.

A cal. Do forno às paredes, CIIPC, Santa Rita, 28 Junho.

Actividade “O Pomar de Sequeiro trocado por miúdos”, Várzea de Cacela, Cacela Velha, 17 Novembro

Grupo com necessidades educativas especiais do Agrupamento de Escolas Dr. Jorge Augusto Correia – Escola Secundária e Dom Paio Peres Correia

Visita à exposição “Profissões Antigas de Cacela”, CIIPC, Santa Rita, 15 Novembro

Dinamização das Oficinas de Verão no CIIPC para crianças e jovens

Depois de um interregno de 2 anos sem oficinas de Verão na sequência da Pandemia Covid 19, o CIIPC voltou a receber crianças e jovens durante 3 manhãs no mês de Julho, com o desafio de trabalharem o tema “Há vida no Jardim!” Vem criar flores, insectos e pássaros a partir de material reciclado e inspirados no Jardim Representativo da Flora do Algarve, na Várzea de Cacela.

Durante o Verão o CIIPC voltou também a dinamizar oficinas criativas para grupos de crianças e jovens a pedido de entidades externas, desta vez com crianças e jovens (meninas) do Centro de Bem Estar Social Nossa Senhora de Fátima, Olhão.

Visitas orientadas ao património de Cacela

O CIIPC orientou, em Janeiro e Maio, duas visitas ao património de Cacela Velha por solicitação do Agrupamento de Escolas de Castro Marim com estudantes e professores de várias nacionalidades no âmbito do Programa Erasmus.

4. ENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO

Maios em Santa Rita

Este ano, depois de 2 anos de interregno por causa da pandemia, os Maios regressaram à aldeia de Santa Rita. Cerca de 7 dezenas de maios e maias saíram à rua em Santa Rita, revivendo-se, em estreita colaboração com a comunidade local, esta antiga tradição festiva, associada à Primavera, tão característica na região. Os Maios, acompanhados de quadras, dizeres e provérbios, colocados nas ruas e à porta das casas, provocaram admiração, reflexão, crítica e riso às centenas de visitantes que passaram pela aldeia.

Voltámos a celebrar o dia de São Martinho com um Magusto com habitantes da aldeia de Santa Rita, vizinhos e amigos de todo o concelho. Castanhas assadas, vinho novo, jeropiga, bolos caseiros e boa companhia estiveram entre os vários ingredientes que animaram este convívio.

Criação e montagem de árvore de natal em Cacela Velha

Este ano para a decoração da árvore de Natal em Cacela Velha, que vem sendo montada desde há uns anos a esta parte pelo CIIPC e ADRIP, contámos com a criatividade e empenho dos alunos do 5° e 6° anos da EB 2, 3 Infante D. Fernando de Vila Nova de Cacela, orientados pela Professora Elisabete Isabel. As decorações foram feitas em sala de aula reutilizando pacotes de leite e garrafas de plástico, ao longo do 1º período deste ano lectivo. A montagem aconteceu em Cacela Velha no fim de Novembro.

Criação e montagem de presépio algarvio no interior do CIIPC com a colaboração da população

No presépio algarvio volta a recuperar-se no CIIPC a muito antiga tradição de em Dezembro se armar o presépio e o “altarinho” de cariz popular. As searinhas foram semeadas (28 Novembro) e o altar armado (6 de Dezembro) com a colaboração de habitantes locais da aldeia de Santa Rita.

Organização de lanche convívio de natal no CIIPC

Por proposta de vizinhos de Santa Rita, surgida durante o Magusto, o CIIPC organizou um lanche de Natal, no dia 13 Dezembro, no sentido de propiciar o convívio natalício entre a população local.

5. PROGRAMAÇÃO CULTURAL EM CACELA

Mercadinhos de Cacela Velha

Continuaram os animados e participados Mercadinhos na Primavera (5 Abril) no Verão (2 Julho), Outono (2 Outubro) e Natal (4 Dezembro) em Cacela Velha (em colaboração com a ADRIP). Os Mercadinhos animaram as ruas de Cacela Velha com artesanato tradicional e urbano; produtos em segunda mão e velharias; produtos alimentares locais; plantas e ervas aromáticas; livros e música;…

Concertos d’Encanto

Na impossibilidade de organização das Noites d’Encanto, a proposta para a continuação de uma programação cultural em Cacela Velha, valorizando a herança islâmica e as culturas mediterrânicas, passou, como no ano anterior, pelos “Concertos d’Encanto”, um conjunto de 3 concertos com músicas do Magreb, médio Oriente e África Mediterrâneo Oriental, Magreb e Europa Medieval, nos dias 15, 16 e 17 de Julho.

Os concertos, com os grupos AL-MAQAM (Marrocos) – Músicas tradicionais do Magrebe e Médio Oriente; WAYAM ENSEMBLE (Marrocos / Síria / Egipto) – Músicas e danças do Médio Oriente; MUHSILWAN (Sudão / Marrocos / Guiné Conacri) – Música de fusão afro-árabe, tiveram lugar no Largo da Fortaleza, pelas 21h30, com lotação quase sempre esgotada.

Clássica em Cacela

O ciclo de concertos «Clássica em Cacela» regressou nos dias 7, 11, 18 e 19 de Agosto, às 21h30, com espectáculos intimistas realizados em lugares de interesse patrimonial.

Nesta 11ª edição, a «Clássica» trouxe dois concertos à igreja de Cacela Velha e dois concertos à Ermida de Santa Rita, sob o tema «Século XX». Em Cacela Velha, subiram ao palco Pedro Ribeiro Rodrigues (guitarra) e Isabel Vaz (violoncelo), no dia 7 agosto e Rui Mourinho (guitarra) e João Lourenço (flauta transversal), no dia 11 agosto. Já a Ermida de Santa Rita recebeu Teresa Matias (Flauta de Bisel) nos dias 18 e 19 de agosto.

O ciclo «Clássica em Cacela» é organizado pelo Município de Vila Real de Santo António, com programação e direcção artística da flautista algarvia Teresa Matias, em colaboração com a Algartes – Associação para a promoção e desenvolvimento da música erudita no Algarve, com o apoio da Direcção Regional de Cultura do Algarve.

Cinema na rua em Cacela Velha

No Verão, o velho portão de ferro do antigo cemitério de Cacela Velha voltou a abrir-se à noite para quem quis assistir a cinema de qualidade sob o céu estrelado. A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António retomou desta forma a já antiga colaboração com o Cineclube de Faro.

O ciclo “Cinema na Rua” propôs 3 sessões de cinema para Cacela Velha, ao longo dos meses de Julho, Agosto e Setembro, com a seguinte programação: As Andorinhas de Cabul de Zabou Breitman, Eléa Gobbé-Mévellec (2019); Paraíso de Sérgio Tréfaut (2021); Noite Incerta de Payal Kapadia (2022).

6. DIVULGAÇÃO DO PATRIMÓNIO DA REGIÃO E DO TRABALHO REALIZADO PELO CIIPC

Boletim bimensal “O Tomilho”

Continuou a edição do “Tomilho”, o boletim do CIIPC com edição bimensal (6 números por ano) no qual se dá conhecimento das nossas actividades, mas onde se dá também voz à população publicando fotografias antigas e registando memórias, saberes-fazeres, tradições festivas, receitas e objectos.

Continuou a ser publicada a versão PDF no nosso site, no sentido de chegarmos a um público mais alargado.

Para além das rúbricas relacionadas com o trabalho desenvolvido e a desenvolver pelo CIIPC e com recolhas junto da comunidade (memórias e saberes, objectos com história, receita, património oral), foram durante este ano produzidos textos de investigação/ divulgação histórica, arqueológica e antropológica.

Foram diversos os destaques temáticos ao longo dos números publicados: antigas tradições ligadas à matança do porco e produção de enchidos; Adolfo C. Gago, poeta e pintor de Cacela (número 37); antiga tradição dos terços da Quaresma no Sotavento Algarvio e as origens remotas das tradições pascais; escavações arqueológicas na Fortaleza de Cacela Velha na primeira década deste século (número 38); enxovais de antigamente e tradições antigas e crenças ligadas ao casamento; Maios em Santa Rita e na Manta Rota (número 39); história e memórias do Casino da Manta Rota (número 40); à história da Fábrica de Cerâmica que começou a funcionar no Sítio da Fábrica nos finais do séc. XIX (número 41); cemitérios de Cacela Velha; objectos e tradições relacionados com o culto dos mortos; primeiros resultados das escavações arqueológicas de 2022 em Cacela Velha (número 42).

Rúbrica no fcebook “Património Apanhado na Rede”

Ao longo das quase 100 publicações criadas, o CIIPC continuou a dar a conhecer o património local de Cacela e Vila Real de Santo António associado a temáticas diversas como: ciclo dos reis e janeiras; dia de nossa senhora das candeias; mós, moinho, papas e pão; moinhos e moleiros; ciclo do pão; tradições do entrudo; usos antigos da flora algarvia; a cal, sua produção e usos; Manta rota; almocreves, venda ambulante, mercearias e tabernas; gentes de Cacela; medicina popular no mundo rural, benzeduras antigas.

7. PARTICIPAÇÃO EM ACÇÕES DE FORMAÇÃO, ENCONTROS, JORNADAS

Participação da técnica Catarina Oliveira, como formadora (registada pelo Conselho Científico-pedagógico de Formação Contínua), na acção de formação “Cal, cor e platibandas na arquitectura popular algarvia: uma abordagem em DAC” promovida pelo CFAE levante algarvio em Maio e Junho.

A formação enquadrou-se num acordo de colaboração entre o Centro de Formação Levante Algarvio (Tavira, Castro Marim, Vila Real de Santo António e Alcoutim) e o Município de Vila Real de Santo António, com vista ao desenvolvimento de trabalho conjunto na formação contínua orientada para o desenvolvimento profissional de docentes e não docentes do Ensino Básico (1º, 2º e 3º ciclos) e do Ensino Secundário e Professores de Educação Especial, tendo como tema principal o Património Cultural da região.

Acções de formação

. Participação das técnicas Catarina Oliveira e Susana Araújo na Acção de Capacitação – Workshop Memórias da Aldeia, Parte 1 – componente teórica, 23 de Março, 10h-13h (on-line), organizada pela Associação In Loco. O workshop debruçou-se sobre a História Oral e metodologias para registo de memórias. Foi orientado pelas investigadoras Sofia Diniz e Inês Castaño da FCSH / Universidade Nova de Lisboa.

. Participação das técnicas Catarina Oliveira e Susana Araújo, como formandas, na acção de formação sobre Mediação Cultural e Artística “Como Desenhar um Território”, dia 24 de Junho, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 16h30, no Chalé João Lúcio, em Olhão. A formação foi promovida pelo Museu de Olhão que dirigiu convite para participação aos colegas do grupo de Educação da Rede de Museus do Algarve, e foi orientada por Marco Paiva.

Apresentação de comunicações e posters em Encontros e Jornadas

1º Encontro Nacional de Serviços Educativos de Museus e Bibliotecas”, 7 de Novembro, em Setúbal. Organizado pela Câmara Municipal de Setúbal.

Apresentação da comunicação “Serviços Educativos na Rede de Museus do Algarve:

desafios e mais-valias do trabalho em rede” da autoria do Grupo de Educação da Rede Museus do Algarve (RMA-EDU)

Apresentaram a comunicação: Ana Carolina Coelho (Museu de Loulé) e Susana Araújo (CIIPC/CMVRSA)

5as Jornadas da RMA-Rede de Museus do Algarve – “Que Definição e Acção para os Museus e suas Redes?”, 25 de Novembro, Olhão.

Apresentação, no 3º Painel – Os museus da Rede do Algarve, da comunicação “Estratégias para uma aproximação à comunidade local. Experiências do CIIP Cacela na aldeia de Santa Rita (Vila Real de Santo António) ” da autoria de Catarina Oliveira, Patrícia Dores e Susana Araújo | CIIP Cacela / CMVRSA.

8. TRABALHO EM REDE

O CIIPC/CMVRSA integra desde 2008 a Rede de Museus do Algarve, continuando a participar activamente nas reuniões gerais e na dinâmica dos grupos de trabalho entretanto constituídos (Arqueologia, Património Cultural Imaterial, Educação).

Na reunião geral da Rede de Museus do Algarve, a 21 de Março de 2022, o CIIPC/ Município de Vila Real de Santo António voltou a ser eleito para o grupo coordenador da RMA (composto por representantes de 5 museus: Portimão, Silves, Albufeira, Olhão e Vila Real de Santo António) durante os próximos dois anos.

Alguns destaques:

Organização das 5as Jornadas da RMA. “Que Definição e Acção para os Museus e suas Redes?” foi o tema das 5as Jornadas da RMA-Rede de Museus do Algarve, que se realizaram no Auditório da Biblioteca Municipal de Olhão, no dia 25 de Novembro.

Estas Jornadas tiveram como objectivo promover o diálogo e a reflexão em torno da nova definição de Museu, os novos desafios com que estas instituições se deparam bem como clarificar qual o lugar e o papel das diferentes Redes de Museus (nacionais, regionais e locais).

As Jornadas reuniram vários especialistas e responsáveis de várias instituições, associações museológicas (ICOM Portugal e APOM) e Redes de Museus regionais portuguesas do Douro, Médio Tejo, Algarve e da vizinha Andaluzia para, de acordo com o programa desta iniciativa, promover uma discussão sobre o papel dos museus e das suas funções bem como, as melhores formas de trabalho e operacionalidade das suas redes geográficas e temáticas.

O CIIP Cacela participou activamente na definição do programa e organização das Jornadas, enquanto membro do grupo coordenador da RMA, e dirigiu ainda a mesa de abertura destas 5ªs Jornadas.

Oficina “Bonecos de meia e trapo”

Antigamente as bonecas eram feitas pelas mães, avós e tias com trapos velhos e imaginação, e faziam as delícias das crianças. Hoje, vai-se à loja e compra-se uma. Lembrar como se brincava com pouco, aproveitando o que havia à mão, e recriar estes fazeres antigos, construindo um(a) boneco(a) de meia e trapos, é o desafio desta oficina.

Venha passar uma tarde de Domingo connosco, entre meias, trapos, agulhas e linhas.

Inscrições

Para famílias e público em geral

Gratuito. Necessário trazer meias e trapos

Sujeito a inscrição prévia até um máximo de 12 pessoas

Tel. 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

Oficina “Coroas de Natal”

O CIIPC / CMVRSA propõe uma oficina de Natal onde miúdos e graúdos podem criar coroas de Natal com folhagem local.

Estes círculos de ramos entrelaçados com folhas e flores associam-se, desde tempos muito antigos, à celebração do solstício de Inverno. Continua a acreditar-se que são símbolos de prosperidade e recomeço, daí a tradição de os pendurar à porta de casa.

Usando folhas e frutos da região vamos dar asas à imaginação e criar uma coroa original para colocar, neste Natal, à entrada da nossa casa ou usar como centro de mesa.

Inscrições

Para público em geral

Valor – 8 € /pessoa; 15€ /adulto+ criança (a reverter directamente para a orientadora)

Sujeito a inscrição prévia até um máximo de 12 pessoas

Tel. 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

Já saiu um novo número do Tomilho (Novembro/Dezembro), nº 42

O Tomilho é o boletim do CIIPC / CMVRSA, com edição bimensal, no qual se dá conhecimento das nossas actividades, mas onde se dá também voz à população publicando fotografias antigas e registando memórias, saberes-fazeres, tradições festivas, receitas e objectos. Um instrumento valioso que vem garantindo um envolvimento da população local no trabalho que desenvolvemos.

Neste número, damos destaque aos cemitérios de Cacela Velha, a objectos e tradições relacionados com o culto dos mortos e damos a conhecer os primeiros resultados das escavações arqueológicas de 2022 em Cacela Velha.

Boas leituras!

MERCADINHO DE NATAL EM CACELA VELHA

Inscrições abertas até 23 de Novembro

Cacela Velha prepara-se para receber, no próximo dia 4 de Dezembro (Domingo) mais um Mercadinho de Natal. Artesanato tradicional (empreita, cestaria, cerâmica, trapologia…) e novas criações; produtos alimentares da região como o mel, pão, bolos, compotas, licores; flores; cremes e sabonetes naturais; brinquedos artesanais; livros e música são as propostas para este Mercadinho.

Se estiver interessado em participar descarregue a ficha de inscrição respectiva – artesanato, produtos alimentares ou velharias/antiguidades/artigos de 2ª mão – que se encontra aqui:


Ficha de inscrição de artesanato
Ficha de inscrição de produtos alimentares
Ficha de inscrição de velharias

A ficha deve ser preenchida e reencaminhada até ao dia 23 de Novembro (4ª feira) para os emails abaixo indicados. As fichas de inscrição devem vir acompanhadas de fotografias dos produtos que serão apreciadas no processo de selecção.

Consulte também o documento com as regras de participação nos Mercadinhos de Cacela em https://ciipcacela.wordpress.com/.

Participe e divulgue!

OFICINA

VAMOS ILUSTRAR O POMAR DE SEQUEIRO

Alfarrobeiras, amendoeiras, figueiras, oliveiras e outros seres vivos

Com a arquitecta e ilustradora Marta Santos

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela /CMVRSA

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Domingo, 13 de Novembro, das 15h às 18h

Para famílias (crianças a partir dos 6 anos)

Valor – 7,5 € /pessoa (materiais incluídos)

Sujeito a inscrição prévia até um máximo de 14 pessoas

O pomar tradicional de sequeiro constitui-se como um dos elementos identificadores da paisagem cultural do Algarve. De grande importância agro-ecológica integra usos ancestrais, com componente florestal, agrícola e pastoril, e que integram a um conjunto de árvores, flores e frutos e que servem também de alimento e de abrigo a outros bichos.

Nesta oficina vamos, por meio de diversas técnicas de desenho e pintura, ilustrar diversos elementos vegetais, flora e fauna associada, tendo como cenário o pomar tradicional de sequeiro.

Sobre a orientadora

Marta Santos é arquitecta e ilustradora.

Tem dedicado o seu trabalho em torno de projectos de investigação e valorização da paisagem, património cultural e arquitectónico do Algarve. Desenvolve também diversos projectos educativos e comunitários no âmbito das artes plásticas para grupos escolares, adultos e seniores. Ilustrou dois livros infanto-juvenis «Tia Anica de Loulé» e «Uma Andorinha no Alpendre» sendo este último inserido no Plano Nacional de Leitura.

Continuar a ler

OFICINA “VAMOS LAVAR A LOUÇA?”

Lavagem, identificação e funcionalidades dos “cacos”

Venha conhecer os achados cerâmicos do período islâmico recolhidos na última campanha arqueológica do sítio do “Poço Antigo”, Cacela Velha

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela /CMVRSA

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Sábado, 22 de Outubro, das 15h às 18h

Para público em geral e comunidade local

Gratuito. Sujeito a inscrição prévia até um máximo de 14 pessoas

A oficina “Vamos lavar a louça”, tem como objectivo proporcionar à comunidade local, e demais interessados, o contacto directo com os achados cerâmicos recolhidos na última campanha arqueológica do sítio do “Poço Antigo”. Desta forma vamos perceber a importância destas peças para a construção da história material, o conhecimento do quotidiano das comunidades islâmicas no território de Cacela e a continuidade de alguns modelos até aos dias de hoje.

A oficina é composta por três fases, a primeira consiste na lavagem de fragmentos cerâmicos com água e escova de dentes. A segunda fase, numa conversa e apresentação de um conjunto de peças da colecção de cerâmicas islâmicas de Cacela, abordando as suas funcionalidades, aspectos de fabrico e o simbolismo associado à decoração que apresentam. Na terceira, já com os fragmentos secos, vamos fazê-los corresponder aos conjuntos de peças anteriormente apresentados.

Continuar a ler

Cacela Velha prepara-se para receber, no próximo dia 2 de Outubro (Domingo) mais um Mercadinho de Outono. Artesanato tradicional (empreita, cestaria, cerâmica, trapologia…) e novas criações; produtos alimentares da região como o mel, pão, bolos, compotas, licores; flores; cremes e sabonetes naturais; brinquedos artesanais; velharias e artigos em 2ª mão; livros e música são as propostas para este Mercadinho.

Participe e divulgue!

Organização

CMVRSA/ CIIPC – Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Contactos: 281 952 600

ciipcacela@gmail.com

https://ciipcacela.wordpress.com/

ADRIP – Associação de Defesa, Reabilitação, Investigação e Promoção do Património Natural e Cultural de Cacela

adrip.cacela@gmail.com

www.adripcacela.blogspot.com

Continuar a ler

Já saiu um novo número do Tomilho (Setembro/Outubro), nº 41.

O Tomilho é o boletim do CIIPC / CMVRSA, com edição bimensal, no qual se dá conhecimento das nossas actividades, mas onde se dá também voz à população publicando fotografias antigas e registando memórias, saberes-fazeres, tradições festivas, receitas e objectos. Um instrumento valioso que vem garantindo um envolvimento da população local no trabalho que desenvolvemos.

Neste número, damos destaque à história da Fábrica de Cerâmica que começou a funcionar no Sítio da Fábrica nos finais do séc. XIX.

Boas leituras!