Tagged: passos contados

Passeio Passos Contados “Brincar com a cana e outros materiais vegetais”

Continua em Maio, no dia 11, Domingo, a 8ª edição do ciclo de passeios pedestres de interpretação da paisagem “Passos Contados”, com um percurso especialmente dirigido para famílias (pais e filhos, avós e netos).

Brincar com a cana e outros materiais vegetais
Com o artesão Domingos Romeira Vaz

11 Maio (Domingo)
Ponto de encontro: 9.30 em Santa Rita

Reque-reque

Gaiolas-grilo

A cana, abundante junto aos cursos de água e fácil de trabalhar, tem ainda no Algarve, inúmeros usos ligados às actividades rurais. Porém, a cana deu forma, ao longo dos tempos, a muitos elementos utilizados no âmbito de entretengas populares, tradições festivas e brincadeiras infantis. Foi matéria de eleição para a construção de muitos dos brinquedos infantis: pífaros, apitos, reco-recos, curre-curres, espingardas, gaiolas de grilo e até a estrutura dos papagaios de papel. Deambulando pelos campos para apanhar grilos, para ir aos pássaros, ou para mergulhos na ribeira próxima, transportando sempre a navalhinha no bolso, se passava junto de um canavial, das mãos da criançada podia sair o brinquedo que a necessidade ou o desejo ditasse no momento.

Apito

Gaiola-grilo

Usos da cana para fins lúdicos que remetem para um tempo em que, nos meios rurais, “brinquedos não os havia” ou “eram poucos”…. – como recordam os mais velhos – e os que havia eram inventados pela criança, construídos no momento, ao sabor da vontade. Ou então feitos pelos pais e avós. Utilizavam-se os materiais existentes no meio natural ou doméstico e estavam, por isso, profundamente ligados às matérias disponíveis, aproveitadas em contextos de pobreza e escassez de bens – “a necessidade faz o engenho” –, e transformadas com recurso a técnicas essencialmente manuais.

????????

Ao longo de um percurso pelo campo, iremos na companhia de um artesão, Domingos Romeira Vaz, cujas mãos hábeis trabalham a cana desde criança, aprender a fazer brinquedos de cana e outros materiais vegetais. Desafiam-se os mais hábeis a trazer no bolso a sua navalhinha.

Passos Contados… porque os caminhos, os lugares, as pessoas contam estórias. A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António propõe este ano novas experiências de interpretação e descodificação das paisagens culturais e naturais do sotavento algarvio. Nesta oitava edição iremos ouvir e observar pássaros do campo e da ria (Março); descobrir as plantas e os seus antigos usos na medicina e alimentação (Abril); aprender a fazer brinquedos em cana e outros materiais vegetais (Maio); conhecer as dietas alimentares antigas no Algarve a partir do registo arqueológico (Junho); procurar camaleões e outros habitantes nocturnos na envolvente de Cacela Velha (Julho); observar à noite estrelas e constelações e descobrir a sua importância na navegação marítima (Agosto); conhecer as paisagens antigas em Cacela a partir de afloramentos, rochas e fósseis (Setembro); terminaremos em Outubro com um percurso sobre a habitação e usos do território no Algarve Rural, ontem e hoje.

Informações
Os percursos realizam-se aos Sábados e Domingos, entre Abril e Outubro.
Pontos de encontro no CIIPC (antiga escola primária) em Santa Rita, na cisterna de Cacela Velha, ou em Vila Real de Santo António na Praça Marquês de Pombal, consoante o percurso.
Para os passeios diurnos deverá trazer merenda, cantil com água, calçado confortável, roupa leve, chapéu e protector solar. Para os percursos nocturnos deverá trazer roupa quente, calçado confortável e lanterna.
A organização reserva-se o direito de anular a realização de percursos caso se verifiquem condições climatéricas adversas.

Inscrições
Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela
Antiga Escola Primária de Santa Rita
Tel./ Fax: 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com
As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o seu nome e contacto.
Valor de inscrição – 3€

Organização
Câmara Municipal de Vila Real de Santo António
Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Anúncios

PASSOS CONTADOS 2014 – Ciclo de percursos pedestres

Estão de volta os “Passos Contados”, passeios pedestres de interpretação da paisagem em Cacela. Conheça o programa para 2014.

Passos Contados 2014

A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António propõe este ano novas experiências de interpretação e descodificação das paisagens culturais e naturais do sotavento algarvio. Nesta oitava edição iremos ouvir e observar pássaros do campo e da ria (Março); descobrir as plantas e os seus antigos usos na medicina e alimentação (Abril); aprender a fazer brinquedos em cana e outros materiais vegetais (Maio); conhecer as dietas alimentares antigas no Algarve a partir do registo arqueológico (Junho); procurar camaleões e outros habitantes nocturnos na envolvente de Cacela Velha (Julho); observar à noite estrelas e constelações e descobrir a sua importância na navegação marítima (Agosto); conhecer as paisagens antigas em Cacela a partir de afloramentos, rochas e fósseis (Setembro); terminaremos em Outubro com um percurso sobre a habitação e usos do território no Algarve Rural, ontem e hoje.

PROGRAMA

Pássaros do campo e da ria. Cantos, voos e habitats
Com o ornitólogo Thijs Valkenburg e a bióloga Fábia Azevedo do RIAS
30 Março (Domingo)
Ponto de encontro: 9.30 em Cacela Velha

Ervas medicinais, aromáticas e alimentares. Usos e saberes
Com o mestre José Salgueiro
12 Abril (Sábado)
Ponto de encontro: 14.30 em Santa Rita

Brincar com a cana e outros materiais vegetais
Com o artesão Domingos Romeira Vaz
11 Maio (Domingo)
Ponto de encontro: 9.30 em Santa Rita

Dietas alimentares antigas no Algarve a partir da arqueologia
Com a arqueóloga Maria João Valente
15 Junho (Domingo)
Ponto de encontro: 9.30 em Cacela Velha

Camaleões e outros habitantes nocturnos de Cacela Velha
Com o biólogo Filipe Moniz
5 Julho (Sábado)
Ponto de encontro: 21.00 em Cacela Velha

Estrelas e constelações na marinharia antiga e nos Descobrimentos. Tradições, técnicas e instrumentos para orientação no mar
Com o físico Cândido Marciano da Silva
23 Agosto (Sábado)
Ponto de encontro: 21.00 em Cacela Velha

Afloramentos, rochas e fósseis. Uma aproximação às paisagens antigas em Cacela
Com o geólogo Hélder Pereira
21 Setembro (Domingo)
Ponto de encontro: 9.30 em Cacela Velha

Habitação e usos do território no Algarve Rural, ontem e hoje
Com o arquitecto Miguel Reimão Costa
12 Outubro (Domingo)
Ponto de encontro: 9.30 em Cacela Velha

Informações
Os percursos realizam-se aos Sábados e Domingos, entre Março e Outubro.
Pontos de encontro no CIIPC (antiga escola primária) em Santa Rita ou na cisterna de Cacela Velha, consoante o percurso.
Para os passeios diurnos deverá trazer merenda, cantil com água, calçado confortável, roupa leve, chapéu e protector solar. Para os percursos nocturnos deverá trazer roupa quente, calçado confortável e lanterna.
A organização reserva-se o direito de anular a realização de percursos caso se verifiquem condições climatéricas adversas.

Inscrições
Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela
Antiga Escola Primária de Santa Rita
Telef: 281 952600
Email: ciipcacela@gmail.com
https://ciipcacela.wordpress.com
As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o seu nome e contacto.
Valor de inscrição – 3€

Organização
Câmara Municipal de Vila Real de Santo António
Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

PERCURSO PEDESTRE «PASSOS CONTADOS» – Nas rotas do arqueólogo Estácio da Veiga em Cacela

Com os arqueólogos Catarina Oliveira e Nuno Inácio

13 Outubro (Domingo)

Ponto de encontro: 9.30 em Santa Rita

 

Privar as províncias desse poderoso meio de cultura e representação científica [o património arqueológico: monumentos e colecções], equivaleria a destruir as suas condições de progresso intelectual e a querer que não houvesse no reino mais do que duas ou três cidades dignas de atenção.” quem o escreve é Estácio da Veiga, pioneiro da arqueologia portuguesa, em 1880.

Estácio da Veiga (1828-1891), natural de Tavira, oriundo de uma família da nobreza rural Algarvia, foi um dos mais notáveis arqueológos portugueses de sempre, pioneiro e inovador no seu tempo. Autor da Carta Arqueológica do Algarve (1878), a primeira no país, e das “Antiguidades Monumentais do Algarve” que publicou em 4 volumes entre 1886 e 1891, ano da sua morte, propôs em 1880 um “Programa para a instrução dos estudos arqueológicos em Portugal” e criou, inteiramente contrário à centralização e concentração num só lugar de todos os monumentos da nação, o “Museu Arqueológico do Algarve” cuja colecção, depois da sua morte, viria a integrar o Museu Ethnografico Português, actual Museu Nacional de Arqueologia. Tudo com base num plano sistemático e pioneiro de identificação, escavação, registo, interpretação e divulgação de vestígios arqueológicos, que o levaram a percorrer todo o Algarve de Oriente para Ocidente, empregando métodos inovadores.

 Estácio da Veiga

Em Cacela identificou túmulos megalíticos, necrópoles de cistas, vestígios romanos, silos e materiais islâmicos,… escavou, registou, desenhou, fotografou, cartografou, publicou. Na sua maior parte desaparecidos, conhecemos hoje estes valiosos testemunhos a partir dos seus registos, magnificas pranchas com desenhos dos objectos exumados, plantas detalhadas com menção aos proprietários das casas de lavoura.

 Carta Arqueológica do Algarve

 

Neste percurso, seguindo as pisadas de Estácio em Cacela 130 anos depois, com a orientação de dois arqueológos, vamos descobrir uma figura ímpar do Portugal Oitocentista, e ficar a conhecer testemunhos de um passado remoto que Estácio da Veiga, imbuído pelos ideais do Romantismo, tanto se empenhou em por ao serviço da instrução e desenvolvimento das populações.

 

Quem eram os arqueólogos nos finais do séc. XIX? O que os motivava? Com que apoios contou Estácio da Veiga? Como se deslocava no Algarve de então e tomava conhecimento dos sítios arqueológicos? Que métodos de escavação e registo utilizava no terreno? Que destino tiveram os monumentos e colecções arqueológicas que identificou e estudou? São algumas das questões que vão orientar a conversa ao longo do percurso.

 

Passos Contados… porque os caminhos, os lugares, as pessoas contam estórias. A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António propõe este ano novas experiências de interpretação e descodificação das paisagens culturais e naturais do sotavento algarvio. Nesta sétima edição iremos descobrir as plantas e os seus antigos usos na medicina e alimentação (Abril); ouvir relatos de viajantes, escritores e poetas sobre Cacela e Vila Real de Santo António (Maio); revisitar elementos de um Algarve antigo, entre o sagrado e o profano (Junho); descobrir antigas tradições alimentares no Algarve rural (Julho); escutar, interpretar e reproduzir os sons nocturnos da natureza (Agosto); conhecer os saberes ligados à cal e seus usos na arquitectura vernácula (Setembro); terminaremos seguindo as rotas do arqueólogo Estácio da Veiga em Cacela (Outubro).

 

Informações

Os percursos realizam-se aos Sábados e Domingos, entre Abril e Outubro.

Pontos de encontro no CIIPC (antiga escola primária) em Santa Rita, na cisterna de Cacela Velha, ou em Vila Real de Santo António na Praça Marquês de Pombal, consoante o percurso.

Para os percursos nocturnos deverá trazer roupa quente, calçado confortável e lanterna.

A organização reserva-se o direito de anular a realização de percursos caso se verifiquem condições climatéricas adversas.

 

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Tel./ Fax: 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o seu nome e contacto.

Valor de inscrição – 3€

 

Organização

Câmara Municipal de Vila Real de Santo António

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Percurso pedestre “A cal e a cor na arquitectura vernácula” – Passos Contados (22 Setembro, 9.30 em Santa Rita)

cal

Continua em Setembro, a 7ª edição do ciclo de passeios pedestres de interpretação da paisagem “Passos Contados”, com o percurso:

A CAL E A COR NA ARQUITECTURA VERNÁCULA. SABERES NA ALDEIA DE SANTA RITA

Com os arquitectos José Lima e Marta Santos

22 Setembro (Domingo)

Ponto de encontro: 9.30 em Santa Rita

Qual o ciclo da cal? Como funciona um forno de cal? O que é a cal branca e a cal parda e a que usos estão associados? Como é utilizada a cal nas construções com recursos a técnicas tradicionais?

Houve um tempo em que a norte da aldeia de Santa Rita – um dos maiores centros de produção e distribuição de cal no Baixo Guadina – laboraram cerca de uma dezena de fornos, onde se coziam com frequência grandes quantidades de cal. Utilizada pela mão do homem em rebocos e argamassas, e nas superfícies exteriores e interiores da casa, caiadas ciclicamente pelas mãos da mulher, a cal revela-se ainda como elemento identificador e simbólico da arquitectura vernácula do sul de Portugal.

Propomos um percurso de descoberta dos processos de transformação do calcário em cal, descobrindo os fornos de cal de Santa Rita. Partilharemos os saberes tradicionais das técnicas da caiação, da hidratação da cal viva e da execução das argamassas, usualmente utilizadas nas alvenarias tradicionais de xisto e taipa e nos revestimentos com os trabalhos de massa das platibandas.

No final do percurso teremos ainda a oportunidade de participar numa experiencia com cal!

Participe!

 

Passos Contados… porque os caminhos, os lugares, as pessoas contam estórias. A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António propõe este ano novas experiências de interpretação e descodificação das paisagens culturais e naturais do sotavento algarvio. Nesta sétima edição iremos descobrir as plantas e os seus antigos usos na medicina e alimentação (Abril); ouvir relatos de viajantes, escritores e poetas sobre Cacela e Vila Real de Santo António (Maio); revisitar elementos de um Algarve antigo, entre o sagrado e o profano (Junho); descobrir antigas tradições alimentares no Algarve rural (Julho); escutar, interpretar e reproduzir os sons nocturnos da natureza (Agosto); conhecer os saberes ligados à cal e seus usos na arquitectura vernácula (Setembro); terminaremos seguindo as rotas do arqueólogo Estácio da Veiga em Cacela (Outubro).

 

Informações

Os percursos realizam-se aos Sábados e Domingos, entre Abril e Outubro.

Pontos de encontro no CIIPC (antiga escola primária) em Santa Rita, na cisterna de Cacela Velha, ou em Vila Real de Santo António na Praça Marquês de Pombal, consoante o percurso.

Para os percursos nocturnos deverá trazer roupa quente, calçado confortável e lanterna.

A organização reserva-se o direito de anular a realização de percursos caso se verifiquem condições climatéricas adversas.

 

 

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Tel./ Fax: 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o seu nome e contacto.

Valor de inscrição – 3€

 

Organização

Câmara Municipal de Vila Real de Santo António

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Percurso pedestre Passos Contados “Sonoridades nocturnas” (Santa Rita, 31 Agosto, Sábado, 19.30)

Continua em Agosto, a 7ª edição do ciclo de passeios pedestres de interpretação da paisagem “Passos Contados”, com o percurso nocturno:

 “Sonoridades nocturnas. Escutar, interpretar e reproduzir os sons da natureza”

Com o ornitólogo Thys Valkenburg e a bióloga Fábia Azevedo do RIAS – Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens

31 Agosto (Sábado)

Ponto de encontro: 19.30 em Santa Rita

Mocho

O piar de uma coruja, de um mocho, o chilrear do rouxinol, o bater das asas de um morcego, o cantar dos grilos ou das cigarras, o coaxar das rãs, o vento a soprar entre a folhagem, o correr da água nas pedras são alguns dos sons que o ouvido humano consegue captar durante a noite.

 

Ao longo de um caminho rural vamos escutar e interpretar os sons da natureza. Uma experiência sensorial intensa que nos permitirá conhecer melhor as espécies que vivem na zona de Cacela, seus hábitos e habitats. A orientação do percurso estará a cargo do ornitólogo Thijs Valkenburg e da bióloga Fábia Azevedo do RIAS – Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens

 

Apareça pelas 19.30 em Santa Rita, no CIIPC (antiga escola primária).

 

Passos Contados… porque os caminhos, os lugares, as pessoas contam estórias. A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António propõe este ano novas experiências de interpretação e descodificação das paisagens culturais e naturais do sotavento algarvio. Nesta sétima edição iremos descobrir as plantas e os seus antigos usos na medicina e alimentação (Abril); ouvir relatos de viajantes, escritores e poetas sobre Cacela e Vila Real de Santo António (Maio); revisitar elementos de um Algarve antigo, entre o sagrado e o profano (Junho); descobrir antigas tradições alimentares no Algarve rural (Julho); escutar, interpretar e reproduzir os sons nocturnos da natureza (Agosto); conhecer os saberes ligados à cal e seus usos na arquitectura vernácula (Setembro); terminaremos seguindo as rotas do arqueólogo Estácio da Veiga em Cacela (Outubro).

 

 

Informações

Os percursos realizam-se aos Sábados e Domingos, entre Abril e Outubro.

Pontos de encontro no CIIPC (antiga escola primária) em Santa Rita, na cisterna de Cacela Velha, ou em Vila Real de Santo António na Praça Marquês de Pombal, consoante o percurso.

Para os percursos nocturnos deverá trazer roupa quente, calçado confortável e lanterna.

A organização reserva-se o direito de anular a realização de percursos caso se verifiquem condições climatéricas adversas.

 

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Tel./ Fax: 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o seu nome e contacto.

Valor de inscrição – 3€

 

Organização

Câmara Municipal de Vila Real de Santo António

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

PASSOS CONTADOS – O Algarve revisitado. Entre o sagrado e o profano, com Jacinto Palma Dias (2 Junho, Domingo, 9.30)

Cacela 125

O ALGARVE REVISITADO. ENTRE O SAGRADO E O PROFANO

Com Jacinto Palma Dias

2 Junho (Domingo)

Ponto de encontro: 9.30 em Santa Rita

Um percurso suave pelos campos e através de uma estrada, a 125, que gente anónima transformou em rua, aí pelos princípios do séc. XX, embelezando essas suas novas construções, rente à estrada, com belíssimas platibandas.

Esta é a proposta para os próximos Passos Contados: perceber as pessoas através das casas, muito mais do que simples construções, elas próprias uma síntese do «ser algarvio», articulando diferentes dimensões de habitar e viver na paisagem e exprimindo toda uma série de valores simbólicos e princípios que constituem, na sua diversidade, a própria cultura da região.

Jacinto Palma Dias, natural de Castro Marim, é licenciado em História pela Universidade de Paris VIII, mas é como pioneiro da agricultura biológica no Algarve que é mais conhecido. Publicou vários livros sobre o Algarve, entre os quais “O Algarve Revisitado”, “A metáfora da água, da terra e da luz na mitologia do Algarve Arcaico”e o recente “Algarve em 3D”.

 

Passos Contados… porque os caminhos, os lugares, as pessoas contam estórias. A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António propõe este ano novas experiências de interpretação e descodificação das paisagens culturais e naturais do sotavento algarvio. Nesta sétima edição iremos descobrir as plantas e os seus antigos usos na medicina e alimentação (Abril); ouvir relatos de viajantes, escritores e poetas sobre Cacela e Vila Real de Santo António (Maio); revisitar elementos de um Algarve antigo, entre o sagrado e o profano (Junho); descobrir antigas tradições alimentares no Algarve rural (Julho); escutar, interpretar e reproduzir os sons nocturnos da natureza (Agosto); conhecer os saberes ligados à cal e seus usos na arquitectura vernácula (Setembro); terminaremos seguindo as rotas do arqueólogo Estácio da Veiga em Cacela (Outubro).

 

Informações

Os percursos realizam-se aos Sábados e Domingos, entre Abril e Outubro.

Pontos de encontro no CIIPC (antiga escola primária) em Santa Rita, na cisterna de Cacela Velha, ou em Vila Real de Santo António na Praça Marquês de Pombal, consoante o percurso.

Para os passeios diurnos deverá trazer merenda, cantil com água, calçado confortável, roupa leve, chapéu e protector solar. Para os percursos nocturnos deverá trazer roupa quente, calçado confortável e lanterna.

A organização reserva-se o direito de anular a realização de percursos caso se verifiquem condições climatéricas adversas.

 

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Tel./ Fax: 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o seu nome e contacto.

Valor de inscrição – 3€

 

Organização

Câmara Municipal de Vila Real de Santo António

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

PASSOS CONTADOS – «Relatos de viajantes, escritores e poetas entre Cacela e VRSA» (Domingo, 19 Maio, 9.30)

Continua em Maio, a 7ª edição do ciclo de passeios pedestres de interpretação da paisagem “Passos Contados”, com o percurso:

 

RELATOS DE VIAJANTES, ESCRITORES E POETAS ENTRE CACELA E VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

Com o arquitecto paisagista José Carlos Barros e outros convidados

19 Maio (Domingo)

Ponto de encontro: 9.30 em Cacela Velha

VRSACacela

 

Tomar as palavras escritas como um ponto de partida para olhar a Paisagem e procurar reinventá-la dando-lhe a dimensão temporal: dos poemas de Ibn Darraj sobre «os castelos da açucena», até às «hortas e campos de figueiras» que ficaram suspensos no olhar de al-Idrisi por inícios do século XII; da perplexidade de viajantes ingleses que descobriram uma Vila acabada de construir, até à Praça das Andorinhas de Vicente Campinas e às reflexões de Brito Camacho sobre o turismo balnear ou o património iluminista de Vila Real de Santo António.

Eis a proposta destes Passos Contados: olhar a Paisagem a partir das palavras de poetas ou viajantes, de escritores ou historiadores – ou, mesmo, do Marquês de Pombal, recuperando a memória, no segundo quartel do século XVIII, dos «muitos incêndios que tem ocasionado as cabanas de piteiras, de canas e de juncos» na praia de Monte Gordo.

 

Passos Contados… porque os caminhos, os lugares, as pessoas contam estórias. A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António propõe este ano novas experiências de interpretação e descodificação das paisagens culturais e naturais do sotavento algarvio. Nesta sétima edição iremos descobrir as plantas e os seus antigos usos na medicina e alimentação (Abril); ouvir relatos de viajantes, escritores e poetas sobre Cacela e Vila Real de Santo António (Maio); revisitar elementos de um Algarve antigo, entre o sagrado e o profano (Junho); descobrir antigas tradições alimentares no Algarve rural (Julho); escutar, interpretar e reproduzir os sons nocturnos da natureza (Agosto); conhecer os saberes ligados à cal e seus usos na arquitectura vernácula (Setembro); terminaremos seguindo as rotas do arqueólogo Estácio da Veiga em Cacela (Outubro).

 

Informações

Os percursos realizam-se aos Sábados e Domingos, entre Abril e Outubro.

Pontos de encontro no CIIPC (antiga escola primária) em Santa Rita, na cisterna de Cacela Velha, ou em Vila Real de Santo António na Praça Marquês de Pombal, consoante o percurso.

Para os passeios diurnos deverá trazer merenda, cantil com água, calçado confortável, roupa leve, chapéu e protector solar. Para os percursos nocturnos deverá trazer roupa quente, calçado confortável e lanterna.

A organização reserva-se o direito de anular a realização de percursos caso se verifiquem condições climatéricas adversas.

 

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Tel./ Fax: 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o seu nome e contacto.

Valor de inscrição – 3€

 

Organização

Câmara Municipal de Vila Real de Santo António

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela