Tagged: Arquitectura popular

Arranque do projecto educativo “AS CASAS DOS NOSSOS AVÓS. A ARQUITECTURA POPULAR ALGARVIA”

Na continuidade do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido com a comunidade educativa na área da educação para o património, a Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, através do seu Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela, arrancou já com a primeira fase do novo projecto educativo “As casas dos nossos avós. A Arquitectura Popular Algarvia”, que decorre ao longo dos anos lectivos 2013/2014 e 2014/2015, estando neste momento a ter lugar as sessões de motivação em torno do tema, nas várias turmas que aderiram ao projecto.

Ao longo destas sessões, que envolvem a apresentação de um diaporama em sala de aula, as escolas do 1º, 2º e 3º ciclos do concelho de Vila Real de Santo António terão a hipótese de ver discutidas várias questões com os alunos: que percepções existem nestas gerações mais novas sobre a importância deste tipo de património, que diferentes expressões arquitectónicas se revelam dentro da própria região, que características têm cada uma delas, como se organizavam os diferentes elementos que constituem a casa, qual a importância deste muito valioso património arquitectónico vernáculo e popular, qual a sua relação com as pessoas e com a paisagem rural e regional e que importância adquire a casa enquanto elemento simbólico onde as chaminés e as platibandas ornamentadas – dois dos elementos mais característicos da arquitectura popular algarvia adquirem especial destaque.

Tem-se tentado também destacar os aspectos de sustentabilidade na organização e implantação da casa e dos diferentes elementos construídos, onde o acentuado sentido de pormenor e de decorativismo se encontra frequentemente presente, por vezes de forma subtil, onde as populações sempre souberam tirar o melhor partido das matérias-primas – pobres, por natureza, com uma enorme autonomia criativa e funcional, contornando as limitações que a natureza impunha, conseguindo, ao mesmo tempo, uma perfeita simbiose entre o homem e o meio ambiente.

Para além disto, tem-se procurado alertar também os alunos para uma paisagem em plena mutação e desaparecimento, estimulando-lhes o desejo de descoberta e exploração do território, sensibilizando-os para a importância do seu património construído local, através do desenvolvimento de um espírito crítico na procura de novas soluções a partir da paisagem construída.

Nesse sentido é entregue uma ficha de levantamento de um imóvel à escolha com vista à constituição de um roteiro/brochura da arquitectura popular do concelho, com os levantamentos produzidos pelos alunos. Da mesma forma, pretende-se que, a partir deste imóvel escolhido, seja produzida uma maquete que permitirá a realização de uma exposição, no final do projecto. A par destas actividades, serão realizadas ainda muitas outras acções, a decorrer ao longo deste e do próximo ano lectivo.

Anúncios

PASSOS CONTADOS – O Algarve revisitado. Entre o sagrado e o profano, com Jacinto Palma Dias (2 Junho, Domingo, 9.30)

Cacela 125

O ALGARVE REVISITADO. ENTRE O SAGRADO E O PROFANO

Com Jacinto Palma Dias

2 Junho (Domingo)

Ponto de encontro: 9.30 em Santa Rita

Um percurso suave pelos campos e através de uma estrada, a 125, que gente anónima transformou em rua, aí pelos princípios do séc. XX, embelezando essas suas novas construções, rente à estrada, com belíssimas platibandas.

Esta é a proposta para os próximos Passos Contados: perceber as pessoas através das casas, muito mais do que simples construções, elas próprias uma síntese do «ser algarvio», articulando diferentes dimensões de habitar e viver na paisagem e exprimindo toda uma série de valores simbólicos e princípios que constituem, na sua diversidade, a própria cultura da região.

Jacinto Palma Dias, natural de Castro Marim, é licenciado em História pela Universidade de Paris VIII, mas é como pioneiro da agricultura biológica no Algarve que é mais conhecido. Publicou vários livros sobre o Algarve, entre os quais “O Algarve Revisitado”, “A metáfora da água, da terra e da luz na mitologia do Algarve Arcaico”e o recente “Algarve em 3D”.

 

Passos Contados… porque os caminhos, os lugares, as pessoas contam estórias. A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António propõe este ano novas experiências de interpretação e descodificação das paisagens culturais e naturais do sotavento algarvio. Nesta sétima edição iremos descobrir as plantas e os seus antigos usos na medicina e alimentação (Abril); ouvir relatos de viajantes, escritores e poetas sobre Cacela e Vila Real de Santo António (Maio); revisitar elementos de um Algarve antigo, entre o sagrado e o profano (Junho); descobrir antigas tradições alimentares no Algarve rural (Julho); escutar, interpretar e reproduzir os sons nocturnos da natureza (Agosto); conhecer os saberes ligados à cal e seus usos na arquitectura vernácula (Setembro); terminaremos seguindo as rotas do arqueólogo Estácio da Veiga em Cacela (Outubro).

 

Informações

Os percursos realizam-se aos Sábados e Domingos, entre Abril e Outubro.

Pontos de encontro no CIIPC (antiga escola primária) em Santa Rita, na cisterna de Cacela Velha, ou em Vila Real de Santo António na Praça Marquês de Pombal, consoante o percurso.

Para os passeios diurnos deverá trazer merenda, cantil com água, calçado confortável, roupa leve, chapéu e protector solar. Para os percursos nocturnos deverá trazer roupa quente, calçado confortável e lanterna.

A organização reserva-se o direito de anular a realização de percursos caso se verifiquem condições climatéricas adversas.

 

Inscrições

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela

Antiga Escola Primária de Santa Rita

Tel./ Fax: 281 952600 | ciipcacela@gmail.com | https://ciipcacela.wordpress.com

As participações são limitadas. Inscreva-se com antecedência, deixando o seu nome e contacto.

Valor de inscrição – 3€

 

Organização

Câmara Municipal de Vila Real de Santo António

Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela